quarta-feira, julho 17, 2013

Por que porquês?


Muitas vezes em nossa vida, questionamos o porquê das nossas ações, nossas convicções, nossas escolhas ou a omissão destas... questionamos porque acontecem coisas conosco ou porque deixam de acontecer e tantos questionamentos nos inquietam a almam, nos atormentam como fantasmas que sondam e atrapalham nossa expontaneidade. Mas porquê tem que ser assim? Porque temos a estranha mania de atrapalhar o que está bom só para provar e sondar se de fato está bom mesmo, ao invés de se deixar levar e permitir fluir a felicidade que de tão bem quista, deveria ser leve e fácil? Porque e para quê complicar tanto?
A presença de moralismo é bom, a convicção do que é "bom" ou "mal" pra nossa vida é o que compõe nosso caráter e nos protege de problemas futuros, mas até que ponto o questionar-se, que leva à não realização de coisas que poderiam ser boas, e impedem a vivência de bons momentos, é tão bom assim?
Acredito que a vida que flui naturalmente, e se permite ser feliz, é uma boa forma de viver com plenitude! Engessar-se e permitir que auto-questionamentos impeçam de se viver momentos felizes é o que de fato nos frustra e de tanto medo de sofrer, acaba-se por sofrer mais ainda, e depois do "não" dado em resposta à uma escolha de vida leve, nos deixa aquele gosto ruim da constatação "porque eu não fiz isso ou aquilo?"... Sim, o epitáfio clássico "devia ter amado mais, ter chorado mais, ter visto o sol se pôr..." faz todo sentido quando por fim constatamos que a vida é feita de momentos felizes e não o correr atrás destes para então negá-los por medo, auto-proteção ou seja lá o que o fez negar-se a si mesmo e se permitir...
Permita-se ser feliz HOJE! Agora! Com o imediatismo de quem não sabe se terá outra chance, se vai viver amanhã.. afinal, temos esta certeza? acho que não...
Não se permita viver sob a imposição da fôrma que insiste em te moldar e fazê-lo mais um "ser humano em série", como robôs programados para dizer "sim" ou "não" sob o cunho julgador de uma sociedade que insiste em julgar e moldar, o que no fundo, adoraria fazer e acontecer, se é que não já o faz e acontece e você nem fica sabendo, vivendo assim, uma felicidade escondida por debaixo dos panos ou da penumbra que esconde dos olhos alheios o que se faz quando ninguém está olhando.
Escolha ser feliz pelo que você é! Não se julgue, não se polde e acima de tudo não permita que ninguém escolha sua vida por você, pois no final das contas, amar ou sofrer, sorrir ou chorar irá partir de você e só você sentirá!
Permita-se! ;)