terça-feira, dezembro 28, 2010

129 filmes de 2010

Como filmólotra que sou, não poderia deixar de compartilhar este vídeo que basicamente resumiu o ano de 2010 para a 7ª arte hollywoodiana. São 129 filmes lançados em 2010 em apenas 4 minutos, vale a pena ver!

2011 - Um ano bom! :)

Previsões para 2011 :

"Bom se o ajudarmos a ser bom.
Céu claro se nossos pensamentos forem claros.
A luz começa na boa vontade da alma - e dos olhos.
Somos responsáveis pelo bom tempo:
compreensão, simpatia e impulso de ajudar
tornam belas as manhãs e embalam as noites
Em casa e no mundo!"

Belas palavras do mestre Carlos Drummond de Andrade em suas previsões para 1967! ou seja, para se prever boas ações, bons pensamentos e suas consequências não existe época propícia, não existe ano bom ou ano ruim, existe apenas boa disposição e o resto é só consequência!
Que 2011 seja um ano de consequências boas, fruto de boas escolhas, afinal, se ajudarmos, 2011 será um ano bom em casa e no mundo!

quinta-feira, dezembro 16, 2010

Esconderijo

Nesse quarto escuro
Existe um menino assustado
Ele é sozinho
E teme que o mundo encontre o seu cantinho
Entrega ele pra cuidar
Eu sei guardar segredo
Eu sei amar
Não conto pra ninguém
Que esse menino é alguém
De barba e gravata e que esse quarto escuro é sua alma
Sandy

Introspecção! Esta música linda da Sandy fala sobre a introspecção da alma, do ser que se esconde dentro de si e que aparentemente está exposto, extrovertido mas que na verdade, no fundo é uma criança que se esconde dentro de si, dentro do seu mundinho... Quem de nós não tem seu prórpio mundinho e ama este mundo? Esta introspecção é necessária pois é alí que se constroem os sonhos, se superam os problemas, se criam personalidades e nascem seres humano fortes e determinados que existe em cada um de nós!
Guardar segredo e amar são relações externas. Crescer e ter barba e gravata são visualizações externas. Mas não temer este quarto escuro é interno e ser feliz com seu próprio mundinho é interno!
Que possamos transitar entre estes dois mundos com sabedoria, leveza e um sorriso interno que reflita no mundo externo! :)

sexta-feira, novembro 12, 2010

We all want to be Young

Todos nós queremos ser jovens!
Este vídeo mostra em apenas 9 minutos um resumo do comportamento humano das últimas décadas.
Em resumo o sonho de consumo do ser humano sempre foi ser feliz, consumindo sentimentos, emoções, reações, atitudes, inovações e não importa quais definições já existiram e quantas gerações novas virão, o que importa é a eterna busca da felicidade, busca tal que, independente da idade que temos, nos torna jovens eternamente!

quinta-feira, setembro 30, 2010

Me amo

Como se amar quando tudo a sua volta passa a impressão te de odiar?
Como se amar quando você odeia e repudia suas próprias ações?
Como se amar quando você se sente sozinha, com falta de ar e do próprio amor?

Lendo o Livro "Comer, Rezar e Amar" (que estou a-do-ran-dooo) da escritora Elizabeth Gilbert, há uma parte onde ela menciona tais sensaçãoes e no ápice da solidão do próprio ser, ela descreve a seguinte experiência:

" Como resposta, de algum lugar dentro de mim, surge uma presença agora familiar que me oferece todas as certezas que eu sempre quis que outra pessoa desse quando eu estava com problemas. O me me vejo escrevendo para mim mesma no papel é o seguinte:
Estou aqui! Eu amo você! Não me importo se você tiver que passar a noite inteira acordada chorando, eu fico com você. [...] Não há nada que você possa fazer para perder o meu amor. Vou proteger você até você morrer, e depois da sua morte vou continuar protegendo você. Sou mais forte do que a depressão e mais corajosa do que a Solidão, e nada nunca vai me desanimar.
Hoje esse gesto interior de amizade - a mão estendida por mim para mim mesma, quando não há mais ninguém por perto para oferecer consolo - me faz lembrar de quando escrevi este reconfortante lembrete no pé da página: Nunca se esqueça de que, um dia, em um instante de espontaneidade, você reconheceu a si mesma como uma amiga."
Trecho do livro "Comer, Rezar e Amar, página 62-63

Que experiência fantástica, não é!

Muitas vezes somos complacentes, compreensivas, amorosas, carinhosas e afáveis com nossas amigas, mas quando é conosco temos a crueldade de sermos rígidas e racionais, crueis consigo mesmas e deixamos de nos amar, deixamos de sentir o amor que deveria ser tão imenso e até palpável por estar o mais próximo possível do lugar de onde sai tanto amor para outras pessoas de fora, ou seja, deixamos de nos amar com o amor que sai do nosso próprio interior.

Que possamos ser amigas de nós mesmas, nos amar muito! e que possamos ouvir esta voz interior todos os dias dizendo: Nunca se esqueça de que, um dia, em um instante de espontaneidade, você reconheceu a si mesma como uma amiga... Eu amo você!"

sexta-feira, setembro 24, 2010

"Entre aspas"

Hoje acordei pra ler Martha Medeiros..Stella Florence... Gisela Rao.. Clarice Lispector...Sabe aqueles dias chuvosos, nublados com aquele friozinho gostoso pra ficar na cama lendo um bom livro? Então!
Esses dias tem cara de instrospecção, de reflexão, de "posição fetal", sim, aquela em que abraçamos as próprias pernas e ficamos alí, quietinhos, no silêncio do nosso próprio interior.. Gostoso não é? Eu particularmente adoroooo ficar assim.. e quando até o clima lá fora contribui pra isso então.. haja reflexão!
Lendo Clarice li uma frase que me fez parar pra refletir : "Sempre conservei uma aspa à esquerda e à direita de mim."Clarice Lispector ... e fiquei alí refletindo..e refletindo.. " uma aspa à esquerda e à direita de mim"... e o que tenho escrito entre estas duas aspas? Tenho escrito frases bonitas? Cabe entre elas um livro inteiro? se sim qual seria seu estilo? aventura, romance, drama, comédia...? Entre estas aspas tem poesia? inspiração? uma melodia? ou apenas um samba de uma nota só?... O fato é que nossa vida está sim, entre aspas, e a composição do conteúdo dentro delas é escrito por cada um de nós todos os dias.. nossa história é composta pelas nossas decisões, nossas escolhas e até nossas renuncias, nossas omissões... é a nossa vida!
Que possamos refletir no conteúdo que compõe o intervalo entre a aspa da esquerda e a aspa da direita e que dentre estas haja muitaaaaaa coisa boa não só pra contar, mas principalmente pra se orgulhar!  ;)

segunda-feira, agosto 30, 2010

Profundidade e Essência

"Sentir o que não existe é uma qualquer saudade de nós próprios." Valter Hugo Mãe
Ai que saudades de mim!!

Estive pensando: " Qual foi o motivo que me levou ficar tanto tempo longe daqui???" Eu simplesmente AMO postar aqui, é meu blog predileto, fala muito do que sou, da minha profundidade, da minha essencia... e o fato de ficar tanto tempo sem postar aqui só pode significar o quão longe ando de mim mesma!

Quão saudável é mergurlhar em nós mesmos? Esta profundidade e reflexão é saudável? Confesso que muitas vezes ( muitas mesmo) senti vontade de vir aqui e escrever por horas a fio, mas por outro lado tenho sentido que tanta profundidade só me remete a muita coisa que não tenho sido, a tudo aquilo que quero ser e não tenho correspondido, a tudo aquilo que sou e tenho escondido.. Nossa.. que profundo! rs Parece até conversa de louco não é? ( Talvez seja mesmo rs) Mas se tem algo que quero compartilhar com vocês é: Jamais se esconda de si mesmo!

A superficialidade é importante, pois nos torna mais leves, menos densos, ajuda a viver e fluir melhor.. mas de vez enquando é importante resguarda-se dentro de si, olhar nos olhos no espelho e jamais perder sua essência pessoal, aquela essencia que te torna singular no mundo, especial no universo e único em si, para si e para o mundo!

Profundidade e Essência!

Voltei!!

quinta-feira, maio 20, 2010

Meninas são tão Mulheres

Toda menina já nasce com um "q" de mulher e mesmo com o passar do tempo, toda mulher ainda carrega dentro de si uma menina! Como é lindo, sutil, louco, complexo e simples ser mulher!
A complexidade do psiquismo feminino intrigou até mesmo Sigmund Freud, criador da psicanálise. Apesar de ter acompanhado inúmeras pacientes, muitas delas apresentadas em casos clínicos clássicos, chegou a confessar, no fim da vida, que a mulher era um mistério para ele, já que, diferentemente do homem, ela não está diretamente submetida à referência fálica de organização psíquica. O fato é que mulheres como Anna O., Dora, Emmy von N., Lucy R., Catarina e Fraulein Elizabeth, que viveram, adoeceram e sofreram na Viena do fim do século XIX e início do século XX, emprestaram partes de sua existência à história da psicanálise. E, antes e depois delas, tantas outras anônimas, muitas tomadas por loucas ou bruxas, foram peças fundamentais para a melhor compreensão de intricados funcionamentos psíquicos.
O universo feminino – que instiga e confunde qualquer um em busca de respostas excessivamente objetivas – é multifacetado, atraente e, não raro, doloroso. O tormento de ser mulher aparece nos incômodos da tensão pré-menstrual (que, feito catástrofe da natureza, passa a cada mês pela vida de muitas de nós, comprometendo a auto-estima, desgastando relacionamentos, causando estranhamentos, destruindo delicadas promessas). Revela-se na compulsão ou no repúdio pelo alimento, distúrbios tão “femininos”, que à primeira vista parecem se contrapor à idéia da mulher como nutriz por excelência. A dor surge também na propensão à depressão e nos sofrimentos marcados pela culpa. E na batalha diária de dar conta de demandas (profissional, afetiva, sexual, entre outras) para as quais nem sempre se está pronta. Mas há também as delícias do ser mulher – possibilidades únicas de prazer e realização; a experiência ­arrebatadora da maternidade; além de maneiras (insuspeitas para os homens) de desfrutar da própria inteligência, sensualidade e capacidade empática. Felizmente, em meio a atravessamentos da cultura, tempestades de hormônios, variações bioquímicas, transformações físicas e emocionais específicas da adolescência, gravidez e menopausa, inusitadas facetas da sexualidade, faltas, buscas, desejos nem sempre desvendados, somatizações, dúvidas, altas doses de empatia, adoráveis habilidades e inevitáveis tropeços ainda há espaço para adentrar recôndidos de delicadeza.

Sim, apesar de tudo adoro ser mulher!


segunda-feira, maio 03, 2010

A Loucura no País das Maravilhas!


"A menina Alice acorda de um pesadelo e pergunta ao pai se ficou maluca. Ele mede sua febre carinhosamente e dá o diagnóstico: sim. “Mas deixe eu te contar um segredo: as melhores pessoas são”."
Sim, já é uma febre! O novo filme da Disney "Alice no País das Maravilhas" já é uma febre e não há quem não tenha ouvido, lido ou visto algo sobre o filme. Trata-se de uma história cheia de fantasia sobre uma garotinha que ao correr atrás de um coelho cai em um buraco no jardim e vai parar em um outro mundo cheio de perigos e aventuras, fantasia e loucura que cativa a todos os telespectadores de todas as idades.
Mas o que quero abordar hoje com este tema é a loucura explícita e ao mesmo tempo sutil do filme e esta nova versão do diretor Tim Burton foi campeã em deixar isso muito bem claro.
A versão original baseada no livro do escritor Lewis Carroll já é bastante louco pois aborda toda uma fantasia que muitos nem se quer imaginaram nem mesmo as mentes mais criativas, mas com o toque especial do diretor mais louco de hoolywood esta versão veio com a fantasia louca de sempre mas com tons excêntricos e ligérgicos, ou seja, traz uma roupagem que todo mundo olha e fala "que loucura!" e esta afirmação é o grande objetivo final.
Para entender melhor sobre esta fonte de locura dos personagens, vou falar um pouquinho melhor sobre cada um deles:


Alice: é pálida, tem olhos fundos e olheiras escuras, cabelos despenteados, luvas listradas de preto e branco. Nesta versão, não é mais uma criança, mas uma jovem esquisita de 19 anos que não se encaixa em lugar algum. "Ela não se encaixa no mundo nem na idade que tem. Há uma certa tristeza em Alice, e eu me identifico muito com ela ", já afirmou o diretor. Ou seja, não é só o diretor que se identifica com ela, mas grande parte dos telespectadores ou muitos de nós, pois quem de nós nunca se sentiu deslocado e fora do contexto deste mundo? É natural este sentimento e também a necessidade prova da busca constante de aceitação de todos ao redor.

Rainha de Copas: Em seu livro, Carroll teve o cuidado de relacionar os símbolos das cartas de baralho com sua função na sociedade. As cartas de espadas (que no inglês são “spades”, que significa “pá”) são jardineiros. As de paus, que no inglês é sinônimo de “porrete”, são soldados. As de ouro são membros da corte e as de copas (no inglês “coração”) são as crianças reais. Seguindo essa lógica, a rainha de “coração”, explicou Carroll mais tarde, “é a incorporação da paixão desgovernada”. Ou seja, da intensidade, da emoção, da impulsividade "cortem-lhe as cabeças!" e quem age pelo coração sabe que há esse impulso pela resolução dos problemas com uma simples ordem e na socidade não é diferente.

Chapeleiro Maluco: Enquanto Johnny Depp desenvolvia seu personagem, descobriu que os chapeleiros da época normalmente sofriam de envenenamento por mercúrio. A cola que eles usavam para fazer cartolas tinha um alto teor da substância – e o efeito de deixá-los lelés da cuca. Depp achou que todo o corpo do personagem devia estar afetado pelo mercúrio, não só sua mente, e, por essa razão, o Chapeleiro ganhou cabelos cor de laranja.
Isso explica o porque do "maluco" pois estavam sob efeitos entorpecentes, mas a subjetividade do filme afirma que ser maluco neste caso é ser o melhor, acima da sobriedade chata e sem graça, tanto é que o personagem acaba em muitas vezes roubando a cena da personagem principal deixando a margem de que a loucura toma muitas vezes o palco da sobriedade tornando a vida mais engraçada.

O exército da Rainha Branca: Uma das cenas mais ricas em referências do filme é a cena da batalha final. Vale reparar em duas coisas: o chão onde a batalha acontece é uma imitação de um tabuleiro de xadrez e o exército da rainha branca luta com armaduras de peças do jogo. A cena é uma alusão ao jogo de xadrez que, no livro, Alice estaria jogando todo o tempo. No livro, você consegue conferir as ilustrações em que Carroll descreve cada ação de Alice no decorrer da história como movimentos de peças do jogo.

É muito nítida a batalha entre a sanidade e a loucura destacadas no filme, batalha tal que quem lê ou assiste o filme também se coloca em "xeque-mate", por muitas vezes engraçada e em outras tensa retratando assim a vida real a qual travamos todos os dias, buscando manter o equilíbrio mas ao mesmo tempo em busca das fantasias e sonhos. Tanto o autor do livro quanto o diretor do novo filme deixam escapar características pessoais em seus trabalhos, mostrando subjetivamente o lado humano da loucura e da sanidade e cabe aqui esta reflexão em cima desta fantasia e desta realidade. Que possamos tratar nossas fantasias e sonhos de forma realista mas com pitadas de loucura que não faz mal a ninguém, afinal no maravilhoso mundo da loucura “deixe eu te contar um segredo: as melhores pessoas são!”

terça-feira, abril 27, 2010

Psicologia do Sapato

Escrever um blog de moda sem dúvida tem mexido com minhas estruturas pois nunca fui apegada demais a este assunto mas ao mesmo tempo sempre fui completamente apaixonada pelo tema e minha maior paixão sempre foi sem dúvida os sapatos! Nossa, eu sou completamente, totalmente e absolutamente louca por sapatos, amo, adorooooo!! de todos os tipos e cores e este ítem sem dúvida sempre foi meu "calcanhar de Aquiles" pois se tiver que cometer alguma loucura "financeira" sem dúvida será por não ter resistido a um lindo sapato. E com a mesma paixão, já vi e ouvi muitas mulheres e amigas afirmarem o mesmo com a mesma veemência, ou seja, não sou excessão nesse universo feminino de mulheres insandecidas por sapatos! rs
Baseada nisso fui buscar saber mais profundamente sobre o assunto e percebi que o sapato é muito mais que um ítem de vestuário, mas é uma extensão da psicologia da mulher!
Na psicanálise de Freud há um conceito chamado "princípio do prazer" onde nossa mente prefere sentir prazer ao desprazer, numa relação diretamente proporcional. Mas este prazer pode ser inibido como resultado da ação da realidade. Assim a mente cria uma forma de prazer possível que é constante , assim como o princípio do prazer. O princípio do prazer nos leva ao conceito de fixação, ou seja, repetição de algo prazeroso que leve à repetição para prolongar este prazer.
Não é possível afirmar que o motivo que leva as mulheres à compulsão por sapatos seja um só, mas a causa é sempre a mesma: fixação, a qual leva ao mesmo princípio do consumismo que nada mais é do que uma válvula de escape prazeroso equivalente a um oásis, uma fuga dos problemas reais.
Nos filmes e fábulas há vários exemplos desta situação como por exemplo a Cinderela onde o pé de sapatinho de cristal ajuda a encontrar o amor e a se libertar da família ruim, ou seja, o sapato simboliza neste caso uma fuga da realidade ruim e a realização dos sonhos. Já no filme "O mágico de Oz" a personagem principal Doroty sai em uma viagem mágica em busca de fortalecer sua confiança e os sapatos cor de rubi a ajuda nesta jornada que só teve seu sentido percebido pela garotinha no fim do filme quando ela retorna ao lar ao bater os sapatinhos 3 vezes e dizer as palavras mágicas " não há lugar como nossa casa!"significando assim um meio de transporte para seu porto seguro que é sua casa. Ou seja, sem dúvida o sapato tem um papel simbólico na vida da mulher e pra não parecer tendênciosa, eu diria que os carros exercem o mesmo efeito sobre os homens.
O que podemos concluir é que a vida real nem sempre é uma maravilha mas todos precisamos sim de algo que nos traga prazer e este é ítem fundamental para nossa sobrevivência e sanidade mental! E no caso das mulheres que amam sapatos é uma forma de prazer que as insere no mundo da moda, da atualidade de uma forma prazerosa e que não a exclui, já que os sapatos são um dos únicos ítens que não exige um biotipo ideal para tê-lo, tanto as gordinhas quanto as magrelas podem usar o mesmo sapato sem discriminação alguma e por não haver restrições é que o sapato acaba sendo titulado como um ítem de paixão universal feminina pois traz esta liberdade de escolha do seu próprio estilo sem fazê-la se sentir mal por caber ou não dentro dele, ou por usá-lo da cor e jeito que quiser com liberdade de escolha e continuar tranquilamente satisfeita com isso.
Sendo assim, não há mal nenhum em se gostar de sapatos e fazer deste nosso objeto de fixação e prazer, afinal, ser feliz é escolha e dentre todas as opções de felicidade, um que seja cor de rubi, de cristal ou da schutz* não é nada mal pra começar a caminhada rumo à satisfação pessoal! :)
obs: * schutz é uma marca de calçados famosa por sua coleção e estilo únicos.



quinta-feira, abril 22, 2010

Rosa Atual

Como havia comentado no último post, criei meu blog de moda!! :)



segue link: http://rosa-atual.blogspot.com/

E o primeiro post:
"Que maravilhaa!!
Primeira postagem do meu blog de diversão, "futilidades", atualização, moda, e tudo que o universo fashion tem de bom pra nos eferecer!! :)
Pra mim é uma alegria e uma diversão criar este blog, pois nele irei compartilhar com vocês tudo que tenho lido, achado e buscado. Não sou especialista mas adoro "fuçar" e por isso este blog será um link para outros que falem com propriedade sobre o assunto, com dicas de moda, roupas, tendências, cabelo, unha, estilo, look's e tudo mais que todas nós meninas adoramos! :)
Se você assim como eu não é especialista em moda mas adora saber tudo que acontece; Se não lê Capricho faz tempo mas também ainda não lê Claudia; Se não é "afetada" pela moda mas gosta de estar bem e atualizada com seu próprio estilo, Se já viu rosa choque, rosa pink, rosa antigo e continua se atualizando para saber qual é o tom de rosa da vez esse é seu espaço de atualização e diversão, entre e fique à vontade!
Espero que gostem e como este espaço é NOSSO, fiquem à vontade para nos comentários fazer sugestões dos assuntos que vc's querem saber, dar palpites, indicar links legais.. em fim... o objetivo é além da diversão trazer principalmente informação, afinal como diria nossa antiga amiga "Marie Claire" : Chique é ser Inteligente! "

Espero a visita de vocês por lá também!

segunda-feira, abril 19, 2010

Full Utilidades



Como já afirmei por aqui várias vezes, eu ADORO blog.. adoro escrever, compartilhar pensamentos, inspirações e reflexões ... e por ser assim, me utilizo deste blog para falar dos assuntos que mais gosto, principalmente relacionados à Psicologia e suas nuances, baseado nisto, me dei conta que muitas vezes me empolgo e pego pesado, falo de assunto mais densos, complexos que exigem uma reflexão maior, ás vezes almejando até criar "crises existenciais" em quem lê e acho isso até legal, mas carregar o mundo pesado nas costas ás vezes cansa neh!
Bom mesmo é ter leveza (um dos post's que mais gosto) com misto de Intensidade( que também adoro, rs)e sendo assim ando com um projeto martelando na cabeça já faz um tempo e acho que em breve vai rolar.. só não o fiz ainda por falta de tempo (muita leitura na faculdade, jornadas de trabalho exaustivas, etc) mas quero criar um blog de futilidades! Sim, isso mesmo, coisinhas que todo mundo julga fútil mas que no fundo pode ser muito últil.
E como aqui é um espaço para reflexão, eu não poderia deixar de refletir sobre este tema, o qual acho muito importante, pois apesar de muitas vezes nos valermos das futilidades para utilidades e até distrações, é importante também refletir sobre tudo isso e unir o útil ao agradável fazendo desta prática algo legal e instrutivo.
Muitas vezes, pricipalmente no mundo "cult" costumamos rotular as coisas como "úteis" e outras como "fúteis" e para esta segunda categoria deixamos tudo que não agrega, tudo que esteja relacionado ao superficial, que não exija muita reflexão ou introspecção, mas a verdade é que mesmo na superfície as coisas podem sim ser úteis e ter valor agregado sem necessariamente ser dispensável ou inútil e com esta rotulação preconceituosa deixamos de aproveitar muita coisa boa.
Que possamos estar mais abertos à novidades, sendo estas úteis ou de aparência fútil, pois ser inteligente e "cult" é antes de mais nada ser "antenado" em todas as decobertas e novidades do mundo e neste universo, muita coisa boa há pra se aproveitar! ;)
E sobre o mundo das "full utilidades" em breve trarei novidades...
:)

sexta-feira, abril 16, 2010

DISCRIMINAÇÃO E PRECONCEITO

Fiz um trabalho essa semana pra faculdade, mas achei o tema abordado legal e resolvi compartilhar trechos dele com vc's (tudo não dá, tem 4 páginas, rs).



DISCRIMINAÇÃO SOCIAL
Deve-se destacar que os termos discriminação e preconceito não se confundem, apesar de que a discriminação tenha muitas vezes sua origem no simples preconceito.
Ivair Augusto Alves dos Santos afirma que o preconceito não pode ser tomado como sinónimo de discriminação, pois esta é fruto daquele, ou seja, a discriminação pode ser provocada e motivada por preconceito.
O tema “discriminação e preconceito” não é atual mas vem desde os mais remotos relatos da história da humanidade. Podemos citar por exemplo, o profeta Moisés que no êxodo do povo judeu das terras do Egito criou os 10 mandamentos citando em um deles o amor ao próximo e também o filósofo Rousseau do Sec. XVIII que pregava e buscava a igualdade, ou seja, provas e indícios de que já existia a desigualdade social e a necessidade de se combatê-la.
Em pesquisas atuais, os psicólogos tem observado que pessoas com atitudes preconceituosas vivem em ambiente social carregado de conflitos e medos ou já passaram por alguma experiência ruim que desperte a memória toda vez que visualiza certo grupo que remeta a tais experiências ruins, ou seja, o preconceito é muitas vezes inconsciente e a associação entre grupo de pessoas e características negativas é estabelecida numa esfera sobre a qual não temos controle.
O fato é que todos sofremos discriminação e ao mesmo tempo todos nós também já discriminamos algo ou alguém de forma consciente ou inconsciente e possuir esta consciência de que isso pode ser mais comum do que imaginamos já é um grande passo para extinguir tal comportamento já que torná-lo consciente e admitir tal erro ou injustiça é o primeiro passo para evitar que o mesmo cresça ou se repita de forma desordenada.
Possuir um comportamento guiado apenas pelo inconsciente ou por instintos primitivos levam os seres humanos de volta à época das cavernas onde se agia sem o guia do consciente, ou como diríamos na psicanálise, sem o guia do superego, ou seja, não devemos regredir a um estágio de consciência que conquistamos enquanto ser racional evoluído agindo de forma discriminatória e continuar a agir assim seria utilizar-se da desculpa de que para algumas situações vale ser irracional e já em outras não, jogando por terra assim tudo que conquistamos não só enquanto evolução do homem mas em evolução da sociedade.
Mas qual a solução para a discriminação? Cabe ao indivíduo somente conscientizar-se da existência da discriminação ou é um problema social e global?
Acredito que é um problema social sim, que deve ter a participação de todos para ao menos minimizar as conseqüências disto, contudo tem que iniciar-se uma conscientização do indivíduo e cabe a este exercitar sua autocrítica com tenacidade e lutar por juízos objetivos. É importante como se comporta nosso ambiente social, pois apenas quando os meios de comunicação e a experiência cotidiana nos esfregam na cara que nossas idéias preconcebidas não se aplicam, e nós mesmos enfim o percebemos, tornamo-nos capazes de modificá-las. Ou seja, a união de todos os meios tanto de comunicação e mídia quanto na educação em escolas é que poderá trazer uma conscientização da importância de se extinguir este comportamento eu diria “primitivo” já que este é irracional no momento em que se discrimina um outro ser semelhante a nós mesmos por motivos banais (cor, raça, religião, sexo etc) e fazer desta motivação discriminatória um novo comportamento racional ao se evitar deixar-se levar por instintos irracionais.
Podemos concluir assim que há solução sim para a discriminação mas esta não é tão simples como parece, é necessário uma conscientização social e individual e um trabalho não só de cunho externo mas principalmente interno, mudando assim o conceito, a raiz do problema vendo beleza nas diferenças objetivando assim uma evolução psicológica social.

P.S: Trabalho acadêmico apresentado para a disciplina de Psicologia Social.
P.S 2: A imagem aprsentada acima é A famosa representação das nacionalidades que inclui o versículo bíblico de São Lucas " Fazei aos outros o que quereis que vos façam" De Normam Rockwell

terça-feira, abril 06, 2010

Boazinha?



Sempre fui considerada uma boa menina e até certo ponto sempre gostei deste título, contudo me irrita e me incomoda profundamente ser titulada como "boazinha" porque isso remete á "bobinha", "tontinha", fácil de contornar, enganar...
Ser boa filha, boa aluna, boa profissional, boa amiga, boa namorada, boa irmã, boa... ainda vai, mas "boazinha"? Diminutivos me incomodam e tá aí um adjetivo que não diz muita coisa,ou se é boa ou não é.
Se formos procurar nas livrarias existem vários títulos de livros que abordam este tema, como por exemplo "Meninas boazinhas vão pro céu, as más vão á luta", ou seja, não basta ser classificada como boazinha e tudo estará garantido, ou quer dizer que as boazinhas não vão á luta? e Pior, pra ir à luta tem que ser má?
Logo me vem a indagação: O que seria uma menina má? Aquela que impõe respeito, diz o que pensa, age por impulso, se diverte, dá risada e cai nas graças da própria vontade sem se incomodar com a opnião alheia? E vão á luta com a cara e a coragem dignas de uma guerreira.. isso as tornam más? ou como diria Cássia Eller "Rezando baixo pelos cantos, por ser uma menina má!"
Rótulos são pra geléia e títulos para livros, não para pessoas! Prefiro acreditar que dentro de cada um de nós existe o bem e o mal, a noção do certo e do errado, a medida da sanidade e da loucura e achar o equilíbrio certo é tão complicado que quem tiver a receita por gentileza poste-a nos comentários!
Ser "boazinha" ou uma "menina má" podem até definir certos esteriótipos criados pela sociedade para caracterizar certas atitudes mas jamais para dividir as mulheres entre boas ou ruins e pior, ser caracterizada como isso ou aquilo não deveria e não deve nortear nossa personalidade e atitudes baseadas nisso!
Ao pesquisar este tema, achei um texto da Martha Medeiros (sempre ela) que diz tudo, segue para reflexão e diversão :)
"Qual é o elogio que uma mulher adora receber? Bom, se você está
com tempo, pode-se listar aqui uns 700: mulher adora que verbalizem
seus atributos, sejam eles físicos ou morais.
Diga que ela é uma mulher inteligente e ela irá com a sua cara.
Diga que ela tem um ótimo caráter,além do corpo que é uma provocação, e ela decorará o seu número.
Fale do seu olhar, da sua pele, do seu sorriso, da sua presença de espírito,da sua aura de mistério, de como ela tem classe: ela achará você muito observador e lhe dará uma cópia da chave de casa.
Mas não pense que o jogo está ganho: manter-se no cargo vai depender de sua perspicácia para encontrar novas qualidades nessa mulher poderosa, absoluta.
Diga que ela cozinha melhor que a sua mãe, que ela tem uma voz que faz você pensar obscenidades, que ela é um avião no mundo dos negócios.
Fale sobre sua competência, seu senso de oportunidade, seu bom gosto musical. Agora, quer ver o mundo cair? Diga que ela é muito boazinha.
Descreva aí uma mulher boazinha. Voz fina, roupas pastéis, calçados rentes ao chão. Aceita encomendas de doces, contribui para a igreja, cuida dos sobrinhos nos finais de semana. Disponível, serena, previsível, nunca foi vista negando um favor. Nunca teve um chilique. Nunca colocou os pés num show de rock. É queridinha. Pequeninha. Educadinha. Enfim, uma mulher boazinha.
Fomos boazinhas por séculos. Engolíamos tudo e fingíamos não ver nada, ceguinhas. Vivíamos no nosso mundinho, rodeadas de panelinhas e nenezinhos. A vida feminina era esse frege: bordados, paredes brancas, crucifixo em cima da cama, tudo certinho. Passamos um tempão assim, comportadinhas, enquanto íamos alimentando um desejo incontrolável de virar a mesa. Quietinhas, mas inquietas.
Até que chegou o dia em que deixamos de ser as coitadinhas.
Ninguém mais fala em namoradinhas do Brasil: somos atrizes, estrelas, profissionais. Adolescentes não são mais brotinhos: são garotas da geração teen. Ser chamada de patricinha é ofensa moral. Pitchulinha é coisa de retardada. Quem gosta de diminutivos, definha.
Ser boazinha não tem nada a ver com ser generosa. Ser boa é bom, ser boazinha é péssimo. As boazinhas não têm defeitos. Não têm atitude. Conformam-se com a coadjuvância.
Ph neutro. Ser chamada de boazinha, mesmo com a melhor das intenções, é o pior dos desaforos.
Mulheres bacanas, complicadas, batalhadoras, persistentes, ciumentas, apressadas, é isso que somos hoje. Merecemos adjetivos velozes, produtivos, enigmáticos. As inhas não moram mais aqui. Foram pro espaço, sozinhas
."
Boas ou más, que possamos antes de tudo sermos nós mesmas, "caps lock" ativo, com personalidade, genialidade e brilhantismo dignos daquelas que sabem o que são e sabem o que quer!
Quanto à mim, eu quero é ser feliz! :)

quinta-feira, abril 01, 2010

Manuscrito


É com imenso prazer, que apresento a nova música do cd solo da Sandy "Manuscrito". Um CD solo autoral que como fã esperava ansiosamente.

Pés Cansados
"Fiz mais do que posso
Vi mais do que aguento
E a areia nos meus olhos
É a mesma que acolheu minhas pegadas
Depois de tanto caminhar
Depois de quase desistir
Os mesmos pés cansados
Voltam pra você
Pra você
Eu lutei contra tudo
Eu fugi do que era seguro
Descobri que é possível viver só
Mas num mundo sem verdade
Depois de tanto caminhar
Depois de quase desistir
Os mesmos pés cansados
Voltam pra você
Meus pés cansados de lutar
Meus pés cansados de fugir
Os mesmos pés cansados
Voltam pra você
Pra você
Pra você
".

No site oficial da cantora, ela também fez um vídeo,abrindo seu coração ao mencionar sonho, vida, anseios, projetos, medos, ansiedade... isso tudo em poucas palavras mas com leveza e sensibilidade.
Assim como todos nós, mesmo sendo ela uma figura pública, apresenta sentimentos positivos e negativos como qualquer outro ser humano e muitas vezes nós telespectadores, fãs e admiradores, nesta onda de "reality show" nos tornamos insensíveis aos reais sentimentos destas pessoas que são tão normais como nós (ou não, rs).
Vejo no projeto solo da Sandy uma realização pessoal, uma conquista, superação, realização de um sonho, os quais cada um de nós temos os nossos e por estes devemos correr atrás sempre! sem desanimar, desistir diante das dificuldades, pés cansados e diante principalmente daqueles que duvidam tão facilmente do nosso potencial e capacidade.
"Sem saber que era impossível, foi lá e fez!"
Que esta seja nossa motivação a cada dia! :)

p.s: site oficial: http://sandyoficial.uol.com.br/

sexta-feira, março 19, 2010

Se não sigo acreditando...

Acreditar e parecer ingênua ou ser realista e tornar-me dura? Acreditar em sonhos, fantasias, bondade, ilusão... tudo isso me parece lindo, afaga meu coração, me deixa leve, tranquila e torna meus dias melhores e felizes de se viver, Contudo viver no mundo da fantasia pode tornar-me alienada e quando se sonha demais e se sobe às nuvens, o tombo da realidade pode doer bastante, contudo viver com a cabeça nas nuvens e os pés no chão é tão surreal porém necessário quanto é o equilibrio desejado por todos nós.
Entre sonhar e acordar, acho que dormir com um olho aberto é a receita e se for pra sonhar, qual o problema? faz bem e não custa nada! ;)
"Eu não vivo nesse mundo
Eu não tenho os pés no chão
Vou daqui pra lá voando
Me alimento de ilusão
Acredito em cada sonho
Isso é o que me faz viver
Se não sigo acreditando
Nunca que virá a ser
Realidade Para ter paz
É preciso fé em Deus, muita saúde
E um pouco de amor a quem lhe quer bem
O resto vem
Devagar
Não convém
Dar a cara para bater
Dizer que não valeu
Se tudo está pra acontecer
Cumpre o teu papel de estrela
Minha estrela de papel
Deve ter valido a pena
Ter improvisado um céu
Realiza o meu desejo, presente
Que o tempo não deu pra mim
Faça com que se arrebente
Minha fita do Bonfim..."
Música linda de Pedro Mariano.

segunda-feira, março 15, 2010

Menina



Sempre adorei ser menina!
Aquela época em que nada era demasiado difícil e quando o era tinha uma mulher-maravilha pra me estender a mão e me ajudar a resolver meus problemas, mesmo quando este era um menino chato que sentava atrás de mim na escola e adorava puxar meu cabelo.
Saudades dos meus 9 anos de idade quando não me preocupava em ganhar dinheiro, pagar as contas, comer menos, contar calorias, usar creme anti-idade, ser eficiente no trabalho e quando eu tinha vontade de chorar, chorava sem cerimônia ou vergonha da minha fragilidade feminina.
Ai que saudades da época em que minha única preocupação era ir bem na escola, tirar notas boas e ser uma boa garota.
Saudades das brincadeiras da infância, de pular elástico na rua com as amigas, brincar de boneca e todas as outras brincadeiras da época.
Saudades de usar vestido cor de rosa sem correr o risco de parecer ridícula por isso.
Saudades da época em que usar batom pra ir pra escola era rebeldia e salto alto uma evolução e sinal de independência.
Como era bom ser menina! Aquela leveza e fragilidade adiquirida apenas pelo fato de ser uma menina, podia brincar com os meninos, correr, pular mas se eu caisse podia chorar, afinal sou menina!
Saudades de quando eu podia sorrir com facilidade, leveza e simplicidade!
Sempre adorei ser menina!
Ai que saudades de ser menina!

sexta-feira, março 12, 2010

De Intensidade e ar



"Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos ,um livro mais ou menos.
Tudo perda de tempo.
Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoraçao ou seu desprezo.
O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia
." Marta Medeiros

"Sou composta por urgências: minhas alegrias são intensas, minhas tristezas, absolutas. Me entupo de ausências, me esvazio de excessos. Eu não caibo no estreito, eu só vivo nos extremos. Eu caminho, desequilibrada, em cima de uma linha tênue entre a lucidez e a loucura. De ter amigos eu gosto porque preciso de ajuda pra sentir, embora quem se relacione comigo saiba que é por conta-própria e auto-risco. O que tenho de mais obscuro, é o que me ilumina. E a minha lucidez é que é perigosa (como dizia Clarice Lispector). Se eu pudesse me resumir, diria que sou irremediável!"M. Queiroz

"Sou dramática, intensa, transitória e tenho uma alegria em mim que quase me deixa exausta. Eu sei sorrir com os olhos e gargalhar com o corpo todo. Eu sei chorar toda encolhida abraçando as pernas. Por isso, não me venha com meios-termos, com mais ou menos ou qualquer coisa. Venha a mim com corpo, alma, vísceras, tripas e falta de ar.... Eu acredito é em suspiros, mãos massageando o peito ofegante de saudades intermináveis, em alegrias explosivas, em olhares faiscantes, em sorrisos com os olhos, em abraços que trazem pra vida da gente. Acredito em coisas sinceramente compartilhadas. Em gente que fala tocando no outro, de alguma forma, no toque mesmo, na voz, ou no conteúdo. Eu acredito em profundidades. E tenho medo de altura, mas não evito meus abismos. São eles que me dão a dimensão do que sou." M. de Queiroz

"Sou o que se chama de pessoa impulsiva. Como descrever? Acho que assim: vem-me uma idéia ou um sentimento e eu, em vez de refletir sobre o que me veio, ajo quase que imediatamente. O resultado tem sido meio a meio: às vezes acontece que agi sob uma intuição dessas que não falham, às vezes erro completamente, o que prova que não se tratava de intuição, mas de simples infantilidade.
Trata-se de saber se devo prosseguir nos meus impulsos. E até que ponto posso controlá-los. [...] Deverei continuar a acertar e a errar, aceitando os resultados resignadamente? Ou devo lutar e tornar-me uma pessoa mais adulta? E também tenho medo de tornar-me adulta demais: eu perderia um dos prazeres do que é um jogo infantil, do que tantas vezes é uma alegria pura. Vou pensar no assunto. E certamente o resultado ainda virá sob a forma de um impulso. Não sou madura bastante ainda. Ou nunca serei
." Clarice Lispector

"Não se trata do tamanho do desafio, se trata do seu tamanho. Ou você é uma pessoa que se deixa deter ou é uma pessoa que não se deixa deter. A escolha é sua. Pensamentos conduzem a sentimentos, sentimentos conduzem a ações e ações conduzem a resultados. "Aquilo que se focaliza se expande." Focalize o amor, a paz, a abundância. Nossa hora de ser feliz é agora!" Elenita Rodrigues

"A fúria de uma mulher rejeitada pode tomar as formas mais diversas: dedicação, controle, masoquismo, raiva, vingança, obsessão, santidade. Talvez essa tal fúria contenha, ao mesmo tempo, todos os bizarros ingredientes." Stella Florence

Apenas alguns fraguimentos de autoras que simplesmente ADORO! Copiei porque me junto em coro à elas!

Vale a Pena Viver?



Vale a pena Viver? Se questiona um suicida que a tempos tem feito milhares de questionamentos sem resposta.. questões sobre o universo, sobre as pessoas, sobre as injustiças, sobre a vida! Inquieta-se com questões sociais, globais e morais, mas questiona-se principalmente com questões pessoais! Porque fez as escolhas que o levaram a tais conseqüências? Porque não conseguiu prever e anteceder os fatos, ter visão, ser mais esperto? Porque algumas vezes foi tão relapso consigo mesmo, foi inconseqüente e imaturo? Porque não escolheu o mais difícil ao invés do mais fácil? Resposta simples: porque o mais fácil é mais fácil! Mas porque viver tem que ser fácil? porque a dificuldade nos repulsa, nos cansa, nos assusta? Porque tudo tem que ser tão difícil?
Queria ele ter o prazer de viver de prazer! De facilidades, comodidades e prosperidade! Queria ter as respostas para as questões que lhe atormentam e mais que isso, não precisar ter que fazê-las! Queria o sol, mar, sombra e água fresca da vida, das conquistas, da realização dos sonhos e utopias alcançadas! Queria ser feliz!
Com o vislumbre do pôr-do-sol da vista de cima de um arranha céu o suicida reflete sobre tudo e nada, aprofunda-se e fica á margem do desespero, da dor, da solidão e ouve com a clareza que nunca tivera antes o som da sua própria consciência, o som do seu coração, o som quase palpável da sua dor e só consegue enxergar diante de si a solução dos seus problemas e questionamentos dando fim a todas elas e por conseqüência fim á sua própria vida e faz o último questionamento e o mais importante de todos: Vale a Pena viver? e de repente passa um filme em sua memória de toda sua vida, sua história e trajetória que o trouxe até aqui e lembrou-se daquela vez na sua infância quando levou o primeiro tombo de bicicleta e sua mãe veio lhe oferecer carinho, atenção e um sopro curador na ferida que só as mães tem e lembrou-se o quão importante e amado ele é por sua mãe que sempre lhe ofereceu compreensão e amor incondicional. Lembrou-se também daquele passeio de carro com seu pai e das músicas antigas que sempre que as ouvia lhe remetiam àquela tarde ensolarada e os papos que tinha com seu pai e pode reconhecer que pelas mesmas angustias e dores seu pai também passou mas hoje é um vitorioso e teve orgulho de ser seu filho! Lembrou-se de todas as desventuras em série de sua adolescência e seus amigos, suas proezas, aventuras amorosas, noites de diversão e dias de completa letargia e satisfação... lembrou-se dos livros que leu, filmes que viu, músicas que ouviu, dançou até cair, mulheres que beijou, amou... e o amor! Ah, o amor como é bom amar e ser amado! e aos poucos de lembrança em lembrança sua tristeza foi diminuindo, sua angustia aliviando e o sol finalmente se pôs no horizonte e também no seu coração, o poente e quietude dos questionamentos e com a noite veio as respostas, não todas, mas quem sabe a que daria estopim para o despertar das outras e pode então finalmente perceber que ter respostas não significa encontrar a felicidade e ter felicidade não significa ter tudo ou encontrar o sentido da vida mas que ter vida é o que dá sentido a todo o resto! Ter vida é ser esse poço de questionamentos, ilusões, sonhos, decepções, frustrações, conquistas e tantas e tantas outras coisas e outros sentimentos que só se pode ter se tiver coragem de viver e provar tudo isso e morrer pode sim trazer fim ás coisas ruins mas põe fim também nas coisas boas vividas e principalmente fim ás coisas boas que ainda estão por viver! Viver!!!
Desceu do prédio, desceu do pedestal do dono de sua vida e dono de sua morte também e subiu no trem que não tem destino certo, não tem parada obrigatória, não tem respostas concretas e segue rumo á surpresa, ao incerto e por ser assim desafiador, instigador, empolgante... Escolheu subir no trem da vida e seguir seu caminho que não promete felicidade plena mas garante a constante busca por ela!
Primeira resposta: Vale Sim! ... Já é um começo...
Segunda pergunta: Um abraço pode salvar uma vida?
Talvez não.. mas traz uma sensação de bem-estar imenso... um dos prazeres de viver!
FREE HUGS! Abraço de graça... que não tem preço!

segunda-feira, março 08, 2010

Nem vejo a hora...


Nem vejo a hora de ganhar minha primeira barbie...
Nem vejo a hora de chegar meu primeiro dia de aula...
Nem vejo a hora da minha unha crescer para poder pintar...
Nem vejo a hora do meu cabelo crescer e poder fazer um penteado legal...
Nem vejo a hora dos meus pés crescerem para poder usar o salto da minha mãe...
Nem vejo a hora de poder comprar meu primeiro sutiã...
Nem vejo a hora de ficar mocinha como minhas amigas...
Nem vejo a hora da minha festa de 15 anos...
Nem vejo a hora do meu primeiro beijo...
Nem vejo a hora de chegar em casa para escrever os acontecimentos do dia no meu diário...
Nem vejo a hora de terminar meu primeiro livro de romance...
Nem vejo a hora de viajar sozinha com meus amigos...
Nem vejo a hora de fazer 18 anos...
Nem vejo a hora de poder dirigir...
Nem vejo a hora de começar a faculdade...
Nem vejo a hora de conhecer alguém legal e me apaixonar...
Nem vejo a hora dessa dor de amor passar...
Nem vejo a hora de escolher meu vestido de formatura...
Nem vejo a hora dele decidir me assumir como sua "namorada"...
Nem vejo a hora da minha grande festa de formatura...
Nem vejo a hora de ganhar um anel com pedido de casamento...
Nem vejo a hora de ser realizada e reconhecida profissionalmente...
Nem vejo a hora de ser levada ao altar pelo meu pai...
Nem vejo a hora dele dizer "sim"...
Nem vejo a hora de entrar na minha casa com minha cara...
Nem vejo a hora de pegar o resultado e ler "positivo"...
Nem vejo a hora de olhar pra carinha do meu filho...
Nem vejo a hora de levar meus dois homens da casa (marido e filho) pro lançamento do meu livro...
Nem vejo a hora de levar meu filho para seu primeiro dia de aula...
Nem vejo a hora de conseguir conciliar tanta coisa...
Nem vejo a hora de conhecer a primeira namoradinha do meu filho...
Nem vejo a hora de ir na festa de homenagem do meu marido...
Nem vejo a hora de ser avó...
Nem vejo a hora ...tenho tanta coisa pra realizar!!
Como é marvilhoso ser mulher!

E em homenagem á todas nós meninas mulheres segue um vídeo que é de uma campanha publicitária mas que me agradou muito.
Porque toda mulher é linda exatamente como ela é!



FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER!!

quarta-feira, março 03, 2010

Rethink



"Hoje é o dia! Você está vivendo sua vida? com paixão, convicção e pura alegria? E o amor? você o tem buscado? Você acredita e mergulha nele? AGORA, tome tempo para respirar e admirar, sentir e repensar sua vida. seus sonhos. você."

quarta-feira, fevereiro 17, 2010

Fevereiro


Sem dúvida alguma Fevereiro é o melhor mês do ano por vários motivos comprovados cientificamente! rs
Primeiro porque é o menor mês do ano, logo trabalha-se menos e ganha-se mais.
Segundo porque é o único mês do ano que temos garantido 4 dias e meio de folga.
Terceiro porque é o mês do carnaval, folia, alegria, verão, praia, sol.. características que tornam o nosso país espetáculo para o mundo e inspiração para muitas músicas...
E por último mas não menos importante porque é o mês do meu aniversário!rs
ADORO Fevereiro!! aliás, adoro Brasil, adoro verão..tudo de ótimo!

Estive pesquisando algumas músicas e não sou só eu quem adora este mês, muitos músicos buscaram inspiração nesta época tão boa e pudeream transcrever tais alegrias e sentimentos em suas músicas, conforme exemplos a seguir:

"Todo mês de fevereiro, morena
Carnaval te espera
Querem te botar feitiço, morena
Mas também pudera.
Se ele pega no teu corpo
Vai ter gente enlouquecida
Querendo entender a tua dança
Querendo saber da tua vida.
" Roberta Sá

"Fevereiro
Alegria
Muita festa
Todo dia!
" Ivete Sangalo

"Moro...
Num país tropical,
Abençoado por Deus
E bonito por natureza, mas que beleza!
Em fevereiro, em fevereiro,
Tem carnaval,
Tem carnaval,
Tenho um fusca e um violão,
Sou Flamengo e tenho uma nega chamada Tereza
." Jorge Ben Jor

Ótimo mês de Fevereiro pra todos e que possamos levar esta alegria e energia pro resto do ano! :)

quarta-feira, fevereiro 10, 2010

Meu princípio à princípio...


Li o título de uma música latina "Mi princípio" e na primeira interpretação achei que falasse sobre "princípios", leis pessoais que tomamos como modo de vida, princípios..mas a música falava de início e assim fui ouvindo a música.. no decorrer da letra (o que é fantástico, porque AMO música e música com conteúdo, não só melodia ou ritmo mas acima de tudo letra que me faça refletir e esta me acertou em cheio)percebi que estava certa, fala sim de princípios, ou seja, de começar, iniciar no princípio com princípios, ou seja, defender os próprios princípios, idéias, leis pessoais, assim, só pra começar! E o fantástico de se defender idéias próprias é exatamente o risco que se corre de ser mal interpretado ou de não haver concordância, e muitas vezes por medo dessa não aceitação é que costumamos agir pela opinião da maioria, pelo princípio comum da sociedade que nada questiona, não sofre retaliações mas que também não se expõe, não se mostra como verdadeiramente é!
Todos nós temos nossos princípios pessoais, alimentados pela nossa educação familiar, pela sociedade que vivemos, pelas experiências que tivemos e pela necessidade de integração com as pessoas com as quais convivemos e a soma disso tudo demonstra quem somos perante ás pessoas, contudo além de toda esta demonstração externa temos nossa forma de pensar íntima, singular e pessoal a qual não contamos pra ninguém. É aquela opinião que formulamos dentro da nossa cabeça mas que não contamos pra ninguém por medo da ridicularizarão, da vergonha, de rirem da nossa idéia absurda, revolucionária ou "nada a ver" e justamente essas idéias que ninguém vê ou lê em nós é que determina o que de fato somos quando ninguém está vendo e nos determina como agir perante a vida e suas agruras, nossa forma de encarar a realidade externa com nossa realidade interna.
Ter princípios por princípio nada mais é do que ter um posicionamento pessoal perante á vida. Não há nada de errado em se encaixar e modular pra caber bem na convivência com nossos semelhantes, mas que possamos além disto ter sim um princípio pessoal e quando necessário conseguir expor sem se intimidar com o que os outros irão pensar, pois acima de tudo devemos ser fieis a nós mesmos, á nossa inteligência que não deve ser subestimada mas respeitada, sem ser imposta ou que haja necessidade de briga para se defender, mas que estes princípios sejam sutis em nossa forma de agir ao mesmo tempo que é forte em nossa forma de pensar! Princípios, assim, pra variar e só pra começar...
" Parece el final, pero es mi principio...Prefiero la soledad A vivir sin mi verdad"

P.S.: a música que ouvi e mencionei acima é da cantora Californiana/Mexicana Julieta Venegas que adorooo e quem quiser conferir seu trabalho basta acessar o link: http://www.youtube.com/user/julietavenegas

quarta-feira, fevereiro 03, 2010

Superego com Super Poderes


Eu sempre quis ter super poderes! Adoro histórias em quadrinhos e seus super heróis, cada um com um super poder que seduz crianças e adultos. Costumo questionar para as pessoas "Se você fosse um super herói, qual super poder você gostaria de ter?" e tenho o mais variado tipo de resposta, desde voar até comer sem engordar rs, ou se espelham em algum super herói específico e já soltam "Gostaria de ser o Super Man" mas também já ouvi "Gostaria de ser o Shrek"! hahaha vai entender.
Particularmente o super poder que eu gostaria de ter é a junção de dois: o poder de ler os pensamentos com o poder de ficar invisível! Seria demais, imaginem poder saber tudo o que a pessoa está pensamento em contrapartida do que está falando! é tão legal quanto seria poder resolver ficar invisível justamente naqueles dias em que não se quer ver ninguém, ou naquelas situações em que você se depara com uma daquelas pessoas "queridamente chatas" no corredor do shopping e não há tempo hábil de tangentemente virar á direita! rs, ou em situações que os super heróis geralmente se deparam em um conflito com um super vilão e naquelas batalhas épicas pela defesa do universo poder antecipar seus movimentos lendo seus pensamentos e ficar invisível, podendo assim atacar justamente no ponto fraco sem ser visto.. seria perfeito! hahaha e se eu fosse me espelhar em algum personagem específico gosto do "Professor Xavier" do X-Men e também Susan Storm (mulher invisível) do Quarteto Fantástico, rs.
É bem divertido pensar sobre esse assunto, pois o mesmo nos remete para fora da realidade, para um mundo de imaginação, fantasia e realização e exatamente por estes itens é que tais histórias e personagens chamam a atenção dos adultos, pois tais "poderes" revelam problemas e suas soluções de forma fantasiosa e divertida, diferente da realidade que nem sempre possui tais atributos.
A estrutura psíquica segundo Freud é dividida basicamente em 3 esferas: Ego, ID e Superego. A primeira que é o Ego corresponde a parte superficial do indivíduo onde ficam os pensamentos, idéias etc. O ID é o instinto primitivo onde ficam as vontades, desejos etc e já o Superego é o que censura os instintos e as pulsões, ou seja, é a tal da "consciência pesada" e muitas vezes é o vilão da história pois tira a parte boa de tudo aquilo que temos vontade de fazer mas ele vem e diz que "não convém". Há uma comunidade no orkut chamada "Meu superego me odeia" e é uma forma satírica de afirmar que no fundo gostaríamos que o Superego nos permitisse tudo que queremos, como crianças mimadas que fazem birra pra conseguir o que quer e quando consegue fica com aquela carinha de vitória rs.
Seria ótimo se o nosso Superego (que coincidentemente ou não) possui o "super" no início do nome, tivesse super poderes como o poder de abstrair aquele "peso de consciência" nos permitindo ficar felizes mesmo quando a situação não permite ou não convém ou quem sabe também o poder de quem sabe além de nos "frear" nos "conduzir" potencializando nosso sexto sentido para prever situações que provavelmente faríamos algo que o próprio Superego irá reprovar, nos poupado assim da coisa toda desde o início.. em fim..podemos usar a imaginação para dar super poderes não só para o nosso Superego ou para os outros estágios como o Ego e o ID, mas também para todo o resto, afinal sonhar e imaginar não custa nada, rs.

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Viver com "I" maiúsculo

Ai que saudades que eu estava de postar aqui!! O ano começou, Janeiro já terminou e só hoje consegui um tempinho pra escrever no meu espaço predileto! Mas ok, vou melhorar neste aspecto! rs
Estive pensando outro dia em várias palavras que gosto, inclusive algumas delas já usei como título de algumas postagens e acabei percebendo que algumas delas começam com a letra I, não sei explicar porque, mas coincidência ou não, palavras trazem em sua essência um poder que muitas vezes subestimamos mas quando paramos para defini-las, mencionamos muitas outras mas não conseguimos chegar a uma definição exata e por ser assim, após várias tentativas de definição acabamos optando pelo silêncio reflexivo, o qual sem palavras nos leva a um limiar pessoal e singular onde agregamos valores e significados pessoais para cada palavra de acordo com a experiência singular vivida de cada um e com isso, no decorrer da nossa vida, percebemos que muitas vezes jogamos palavras ao vento mas em outras nos faltam palavras para definir a emoção e a plenitude do momento.
Pensando assim em palavras que eu gosto e que coincidentemente começam com a letra "I", me empolguei e achei palavras como "Intensidade" (meu post q adoro), "Inspiração" (fundamental) "Imaginação"(essencial),"Idealismo"(minha cara), "Ilimitado"(já se explica por si só),"Imensurável"(idem), "Inenarrável"(vida)... e por aí vai...
Que possamos nos apoderar das palavras que nos impulsionam pra frente e pra cima e que 2010 seja um ano de "Iniciativa" e de muitas palavras ou quem sabe de momentos tão bons que nos faltem até palavras!