quinta-feira, julho 30, 2009

Leveza



"Eu queria ter a sensibilidade e a simplicidade de captar na vida esses momentos de leveza.. leveza do decidir, leveza no falar, leveza no tratar, leveza do ser... leveza de um espírito livre, livre de preconceitos e pré-conceitos, livre das mesquinharias que o ser humano insiste em pegar para si e perpetuar coisas fúteis e pequenas... leveza de um caráter que não precisa gritar e se anunciar para ser ouvido e sentido, leveza de uma personalidade forte mas frágil, que com sua constante inconstância tenha a levidade e a simplicidade de se reciclar sem ninguém notar... Queria ter a leveza dos pássaros que vivem leves, livres e soltos, e quando há necessidades vitais, migram para outro lugar mais quentinho e confortável sem a menor cerimônia e talvez seja esse espírito livre que os fazem tão leves e não o contrário...
Porque na vida temos vários momentos de intensidade, profundidade e propriedade, mas os mesmo são necessários exatamente para que culminem em momentos de qualidade, leveza e liberdade!
Que sejamos e estejamos atentos a essa necessidade simples, mas importante de liberdade, leveza e simplicidade, pois uma vida leve é bem mais fácil de se levar! "

Publicado aqui no meu blog no dia 02/12/06 e por ser um dos meus posts prediletos pela inspiração e plenitude resolvi postá-lo novamente.

segunda-feira, julho 20, 2009

Apenas uma pausa para reflexão...



Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.
Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.
Como aliviar a dor do que não foi vivido?
A resposta é simples como um verso:
Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

Definitivo
Carlos Drumond de Andrade

Se fosse fácil teria graça SIM!



Se fosse fácil teria graça sim!!
Porque tudo tem que ser tão difícil e competitivo? Não seria bem mais legal se cada um tivesse seu lugar ao sol garantido, assim, sem vencedores nem perdedores, apenas felizes?!
Aquela frase de que se fosse fácil não teria graça é apenas um consolo para aqueles que não querem desanimar da luta, mas no fundo seria bem mais legal se fosse fácil...
Pois acredito que o calor do desafio não compensa a dor da derrota, da competição injusta, das trapaças e covardias!
Queria que todos tivessem seu lugar, sua realização, seu posto, seus sonhos realizados... essa utopia sim teria graça se fosse fácil!

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=91546400