sexta-feira, fevereiro 27, 2009

Paixão


Paixão, ôh paixão...palavrinha mágica que provoca arrepios, borboletas no estomago, sorrisos abertos e francos, corar das bochechas e pulsar acelerado do coração... quem nunca sentiu tais sintomas? É uma delícia, nos faz sentir vivos! sim, vivos!! Sendo assim, por que será que quando falamos em paixão, só nos vem á mente a de uma mulher por um homem ou vice e versa? Não podemos nos apaixonar por outras coisas, como pela vida por exemplo?
O fato é que neurologicamente falando a paixão faz com que o nosso organismo libere sustâncias agradáveis como a serotonina, oxitocina etc, hormônios tais que nos trazem estas sensações mencionadas acima, de prazer e bem estar e isso é fundamental para a manutenção da vida saudável de um ser humano, pois sem tais sensações, pode-se desenvolver uma depressão por exemplo.
Seguindo esta linha de pensamento, afirmando que se apaixonar é tão bom e faz bem, porquê nos privamos, nos protegemos e adiamos tanto para sentir isso? Podemos sim nos libertar dos medos e paradígmas e nos apaixonar todos os dias, sim todos os dias: Por si mesmo, pela vida, pelo ar, pelo horizonte, por um sorriso sincero, pela chuva, pelo sol, por um bom livro, por um personagem de um bom filme, por uma matéria interessante de uma revista inteligente, por um bom perfume, por um blog, rs... em fim.. se apaixonar, se permitir gostar de algo e apreciar a beleza disto, a beleza que é se apaixonar!!!
Apaixone-se pela paixão e viva feliz!!!

quinta-feira, fevereiro 26, 2009

BBB = PPP (Big Brother Brasil = Pressão Psicológica Pesada)



Este meu blog é meu "xodó", adoro escrever aqui, escrevo o que dá na cabeça, do meu jeito, ás vezes com alguns erros de português mas todos de bom coração, rs! Ele é meu interlocutor oculto, imaginário, sem face, mas ótimo ouvinte!
Sendo assim, bobagens não combinam, temas chatos destoam pois a intenção, além da paixão, é agradar quem lê, trazer um momento de leitura gostoso, leve, despretensioso mas interessante, intrigante e reflexivo...Baseado nisto tudo, abordar e escrever sobre o Big Brother parece piada e no mínimo será abordado de forma a ridicularizar o já tão ridicularizado quadro global, pensará quem vê esse título, mas para o espanto de todos, não, não irei ridicularizar nem difamar o BBB, pois admito: assisto e gosto! ( com ressalvas e justificativas a seguir, rs).
Nossa, quando fiz essa afirmação em público, alguns olharam espantados, outros "ah, fala sério!" e uma pessoa até me falou "Nossa, pra quem lê tanto dizer que vê e gosta de Big Brother..." confesso que achei legal, afinal, apesar de admitir isso não gostaria que minha imagem ficasse associada a algo tão "inculto".
Ok, concordo que o programa não oferece nada de bom, pelo contrário, difama a imagem feminina (como se isso já não fosse comum na TV hoje em dia), apela para baixarias para ganhar audiência (e claro, são instigados á isso), sem mencionar que há todo um processo de "seleção" que de democrático e desinteressado não tem nada... Mas críticas óbvias á parte, gostaria de abordar o BBB9 como uma nova sigla "PPP" Pressão Psicológica Pesada! Sim, as demais edições do BBB tinham todas as características comuns como exposição de nudez, baixaria, complôs etc., características tais que não faltam em nada nesta edição, mas esta tem tido abordagens diferentes que nitidamente se criou pra além de surpreender o telespectador e prendê-lo pela novidade e não cair na mesmice, também surpreende os brothers que foram armados e preparados para as armadilhas costumeiras e foram surpreendidos por sessões de pressões psicológicas inesperadas e portanto surpreendentes, mesmo que subliminarmente.
Começou com a Casa de Vidro, dentro de um Shopping Center de uma grande cidade brasileira, imagine você, achando que conseguiu ganhar na loteria sendo escolhido para ser um dos BBB9 e der repente tendo que ficar sorrindo 24hs por dia durante sete dias sem privacidade nenhuma e tendo que nesta situação agradar o público para conseguir uma chance, público não através das câmeras escondidas, mas público pessoal, ali, do outro lado de um vidro! Sim, ridículo se expor desta forma tão direta, e no mínimo estranha a sensação de quem está do lado de fora, "observando" humanos da sua mesma espécie como se fosse um zoológico inovador... Aliás, o BBB nada mais é do que um zoológico humano, caso não esteja claro esta abordagem.
Depois, dentro da casa, com todas as provas, situações e simulações, estar sob confinamento já é angustiante, já vimos este filme nas demais edições, mas daí a confinar três pessoas em um quarto branco, iluminado 24hs é tortura psicológica das brabas, pois pira a cabeça de qualquer um, pois a iluminação constante por si só para o ser humano é fisiologicamente torturante, pois o ser humano precisa do pôr do sol, noite e dia para controlar seu relógio biológico e ser privado da luz ou do escuro descontrola todo o organismo que deixa de saber qual é a hora de dormir e de acordar, por exemplo, ou seja, pressão biológica sem mencionar a psicológica, + uma vez, forçando o "+ fraco" a desistir quando quiser e não deu outra, confinamento é pressão...
Confesso que não sei se são abordados os direitos humanos em uma situação como esta, mas fato é que quem se sujeita a participar de um programa de exposição pessoal de todas as formas e assina um contrato se dispondo a aceitar qualquer coisa para conseguir um milhão, aceita subtendidamente a ser exposto a qualquer tipo de pressão, ou seja, a palavra QUALQUER dá margem pra tudo, esteja preparado ou não.
Claro que tenho + críticas do que elogios para fazer ao BBB, conforme os mencionados acima e muitos outros, mas confesso que gosto de assistir exatamente pela observação do comportamento humano quando exposto a situações de stress, pressão, saudade, confinamento, traição, agreções verbais, desconfiança, pressão externa, cobrança interna, fome, vontade, necessidades físicas e psicológicas tudo isso exposto em rede nacional para todo mundo ver! Não acredito que existam atores, mas sim seres humanos falhos que são exemplos vivos de que toda máscara uma hora cai, todo pensamento uma hora sai da boca pra fora, toda libido uma hora é liberada e que a busca de um objetivo em troca de "qualquer coisa" sempre acaba esbarrando exatamente no seu ponto fraco.
O BBB PPP é isso, pressão, jogo de sobrevivência e exposição geral, das fraquezas humanas e suas limitações.
Acredito que o que incomoda e ao mesmo tempo atrai todas as atenções para um reality show é o fato de nos identificarmos com um deles e ficarmos imaginando e nos colocando no lugar deles, como faríamos, reagiríamos, falaríamos e esse exercício social é interessante, pois coloca em xeque tudo aquilo que acreditamos, nossa base educacional e moral diante das pessoas e de nós mesmos.
O que falta no mundo e na TV hoje em dia é algo que mostre a riqueza do ser humano, sua capacidade de crescimento, superação e evolução, pois estamos saturados e cansados de ver a ridicularização da mulher, do homem, das crianças e idosos, da cultura, da música, dos gostos, da moral, da verdade, em fim, cansados dessa pressão psicológica que é viver nesta bolha social que ferve + a cada dia que passa com tanto lixo cultural e social... que possamos sim, observar, espiar à vontade mas além disso aprender algo, tirar algum proveito disso tudo de forma positiva e não ficar apenas na posição confortável de criticar, apontar e não fazer nada pra mudar.
Como psicóloga que sou sempre irei olhar o mundo sob o ângulo psicológico e as conseqüências disto e também irei apreciar tudo que mostrar o ser humano e suas vicissitudes, contudo exatamente pelo mesmo motivo tenho que criticar um programa ou qualquer situação que ridicularize este mesmo ser humano, incrível e singular em seu potencial, pois ser um ser humano implica não só viver e curtir a vida, mas principalmente ter sabedoria para saber viver bem e curtir o que se tenha algum proveito, um motivo e razão de crescimento como pessoa e como humano.
O BBB tem tudo isso, oportunidade de enriquecimento, mas também de crescimento como pessoa, pois o ser humano quando é sujeito á pressões psicológicas pode sofrer e até se traumatizar, mas também pode sair ileso e renovado, evoluído pois é assim que se aprende a viver, através das experiências as quais só se sabe depois que se dispõe a passá-las.
PPP também é isso, pressão psicológica pesada, mas a pressão que impulsiona pra frente, pra cima e que ensina a viver, jogar e ganhar...BBB = PPP, como tudo na vida, se bem aproveitado vale a pena!

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Apaixonada pela vida.. vida aos 28! rs


Meu aniversário está chegando e com ele vem sempre aquela sensação de que o tempo está passando, muitas coisas foram conquistadas e outras ainda não...Algumas experiências sabiamente adiquiridas e outras ainda por aprender... Alguns sentimentos expressos e outros ocultos... Em fim, são tantos os devaneios e reflexões que me invadem, amedrontam e encantam, afinal viver é uma experiência única, singular e linda e é dessa forma que devemos encará-la a cada dia com o passar dos anos...
Sendo assim, envolta nestes momentos de introspecção, deixo um dos célebres poemas de John Lennon, ser humano como cada um de nós, cheio de frustrações e conquistas, mas que teve a nobresa de tentar compartilhar conosco todos seus sentimentos, alegrias e emoções através de suas músicas, poemas e vida, mesmo que breve...

"Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é acionado, nem chega com hora marcada. Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável. Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada "dois em um": duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável. Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos. Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são caretas, que os que transam muito não são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto. Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes e que podemos tentar alternativas. Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém"
(John Lennon)