sexta-feira, novembro 30, 2012

De urgências e despretenções...


Eu não tinha muito a oferecer, eu sei… Mas tudo o que eu tinha, era seu. Caio Fernando Abreu

E das urgências do meu ser.. do meu coração, ter você era a que eu mais queria!...
E só de pensar em tudo que poderia ter sido, vivido, aproveitado...
Tanta coisa boa desperdiçada...
E alí não haviam cobranças, não havia pesar.. era só leveza como quem sorri iluminado pelos raios do sol e fica assim, iluminado por uma aura de paz despretenciosa...
E era tudo tão lindo, gostoso... com "bom dia" singular e peculiar...
Era perfeito e ponto! Sem mais, nem menos.. sem pensar no ontem muito menos no amanhã, afinal o "aqui e agora" era tão melhor...
E foi...

E o que dói hoje aqui não é amor, nem saudade... é vontade! De algo bom, de algo novo, de algo que chegue e fique!

segunda-feira, novembro 05, 2012

Então você percebe que cresceu...

 

Então vc percebe que cresceu qdo o que mais quer é chorar até dormir, mas levanta, sacode a poeira, rir pra vida e diz: Sou maior que isso!

Então vc percebe que cresceu qdo tudo a sua volta é caos, seu trabalho é horrível mas olha nos olhos da vida e diz: Aqui quem manda sou eu!

Então vc percebe que cresceu qdo sua maior vontade é de xingar, mas sabe ser educada e madura pra amar pois é disso que vc é feito!


Então vc percebe que cresceu qdo quer colo e cafuné, mas busca e encontra consolo e abrigo no amor-próprio!

quarta-feira, setembro 26, 2012

VIVER em maiúsculo!


Tem dias que sou da paz.. mas tem dias que sou da tormenta!!
Adoro cor-de-rosa mas a intensidade do vermelho me fascina!!
Odeio o "mais ou menos", o fraco, o pouco, o medido, mensurado, guardado, paciente, esperado...
Sim, sou das intensidades!!
Prefiro calor! fogo! força!
Tem dias que quero gritar, sair, correr, pular!!
Quero falar, falar, falar e falar...

Isso tudo me parece tão oposto, controverso, disperso, inquieto... Não combina com minha aura de tranquilidade que exalo e tento transparecer...
Sim, sou leveza, delicadeza, doçura...

Mas definições me irritam pois como a própria palavra já diz: "limitam" e o limitado é pouco, medíocre, engessado, quadrado, previsível e por consequência: sem graça!

Gosto da falta de limite, da imprevisibilidade, da inconstancia, das mudanças, do inesperado, da surpresa, do espanto... de caminhos diferentes, olhares diferentes, reflexões e conclusões diferentes... pois só assim se vive! se evolui!

Quero intensidade!! sangue a pulsar! brilho nos olhos! cantar alto! dançar!!

VIVER!!! e se não for em maiúsculo... o minúsculo no diminutivo me entedia.. não me serve porque simplesmente não me cabe.. sou muito maior que isso!!!

Sob meu click




E é assim que observo o mundo..como que por fotografias..

Posso observar em ângulos diversos, com foco ou em imagens desfocadas...

O observar é sempre um momento de reflexão... onde se vislumbra um pouco de si e muito do que falta em si também...

É um eterno descobrir!

Posso registrar e eternizar momentos, pessoas, situações e até emoções... basta que eu as vivencie e registre...

E tais fotografias vão e vem quando evocadas pela memória... e volta-se a viver... "recordar é viver" já dizia o poeta... e viver e viver e viver dinovo...

Devaneios de uma fotógrafa da vida...

terça-feira, agosto 28, 2012

Cartas

Com toda licença poética, em forma de admiração e homenagem, segue texto de uma escritora que conheci hoje e foi amor "á primeira leitura", identificação!




cartas
by Bebel de Andrade


Ficou imaginando que talvez, seria melhor assim, em formato de cartas. Já tinha ouvido falar que é um bom lugar para colocar saudade, carinho, perfume. E por alguns anos se dedicou a contemplar sua vida em papéis. À Ana Caio Maria. Como um ritual, uma bossa, o lápis roçando o vestido branco, coração de papél. E como se estivesse perdida em um campo de folhas caídas – memórias do outono – alaranjadas, se via cega. nua e muda, dentro de suas próprias palavras. Mas ah, tinha um verdadeiro gosto pela simplicidade de suas cartas : Querida, te mando uma flor. Saudades.
E se era com mãos de violinista que as escrevia, era com braços de Capitu que ia guardando-as, todas. Ela nunca chegou a enviá-las. Guardava seus amores em gavetas, junto com as fotografias. E talvez seja essa a grande beleza que encontrava em escrevê-las. O ciclo inteiro, o descobrir o papél, uma lua de mel - e depois lacrá-lo. Esperar adquirir as primeiras marcas do tempo, e reler. Porque reler, era só o que restava depois de tudo.
O que me faz pensar, que essa personagem que espera no futuro se alimentar do passado, guardando resquícios, qualquer coisa que a faça lembrar de quem foi, de quem amou, de quem realmente tirou seu ar - Fôlegos vacilam - Talvez essa personagem seja uma das mais belas que apareceram pra mim até hoje. Dessas que sentam ao seu lado no banco do parque e pedem desculpa. Tímida? Não. Simplesmente humana. Sensível o bastante para entender que a liberdade vai até onde vai. E isso me faz acreditar, que talvez ela não tivesse mesmo, a coragem de receber uma resposta. De saber que sim, a outra pessoa tambem estava morrendo de saudades, de vontades, de. Aflorar os sentimentos e a sensibilidade de um poeta que sente de verdade, que sente em cada póro… é complicado. É devastador. E era de uma empatia, quase egoísta, esse sentimento de não querer prolongar.
Agora, preciso mesmo dizer, que sua última carta me surpreendeu. Não tinha destinatário, querido, querida. Não tinha um formato de carta. Aliás, pode-se dizer que era tudo, menos uma carta. Era mais uma melodia, um poema, uma essência. Uma noite nublada, arranha-céus pontiagudos à beira da estrada, na varanda, olhando pra cima. Era o sentir de moléculas, a sensibilidade da pele, do cabelo, da saliva. A carta era tão real, que era como se outra pessoa, um alguém, que podia ter muitos rostos, estivesse ali, olhando nos olhos dela. Multifacetada e viva.

Acho que olhos também se beijam.

De qualquer maneira, apesar da curiosidade alheia, eu não me sinto no direito de transcrever o conteúdo dela. Eu só espero que não seja a última de todas. Eu só desejo que existam mais pessoas no mundo que escrevam cartas. Espero que algumas mandem, outras guardem. E espero que as mesmas pessoas que escrevem, sejam desse tipo raro, dos que sentem felicidade ao sentar na grama, ao sentir as pequenas folhas no meio de seus dedos, cheiro de flor, e que se sentem unidos ao olhar pro Sol como o primeiro homem fez e como todos os outro um dia o fazem. Pois uma das únicas certezas que eu tenho em relação à tudo que aqui foi dito, é que só escrevemos cartas porque o amor existe.

sexta-feira, agosto 24, 2012

Ou alguém duvida que o universo traz aquilo que desejamos?




ELE anda cansado das baladas e dos casos furtivos sem sentimentos. Aprendeu a gostar da própria companhia, sem precisar estar em uma turma de amigos todos os sábados. Decidiu que quer um amor verdadeiro… que pode nem ser eterno, mas que traga um sabor doce às suas manhãs, que seja a melhor companhia para olhar a lua. Que ele possa exibir os seus dons na cozinha e o seu conhecimento em vinhos, só para ela.
Quer uma mulher que ele reconheça pelo cheiro dos cabelos, pelo toque dos dedos, pela gargalhada que vai ecoar pela casa transformando um domingo sem graça, no melhor dia da semana. Quer viver uma paixão tranqüila e turbulenta de desejos… quer ter para quem voltar depois de estar com os amigos, sem precisar ficar “caçando” companhias vazias e encontros efêmeros. Quer deitar no tapete da sala e ficar observando enquanto ela, de short jeans, camiseta e um rabo de cavalo, lê um livro no sofá, quer deitar na cama desejando que ela saia do banho com uma lingerie de tirar o fôlego. 

Quer brincar de guerra de travesseiros, até que o perdedor vá até a cozinha pegar água. Quer o poder que nenhum dos seus super heróis da infância tiveram… o poder de amar sem medo, sem perigo e sem ir embora no dia seguinte. 

Quer provar que pode fazer essa mulher feliz!


ELA quase deixou de acreditar que seria possível ter vontade de se envolver novamente. Foram tantas dores, finais, recomeços e frustrações que pensou em seguir sozinha para não mais se machucar. Então percebeu que a vida de solteira já não está fazendo tanto sentido. Decidiu que quer um amor verdadeiro… que pode nem ser eterno, mas que possa acordá-la com um abraço que fará o seu dia feliz, quer um homem que ela possa cuidar e amar sem receios de que está sendo enganada. Quer a alegria dos finais de semana juntinhos, as expectativas dos planos construídos, o grito de “gol” estremecendo a casa quando o time dele estiver ganhando… a cumplicidade em dividir os segredos. 

Quer observá-lo sem camisa, lendo o jornal na varanda… quer reclamar da bagunça no banheiro, rindo e gritando quando ele revidar puxando-a para o chuveiro, completamente vestida.

Quer a certeza de abrir a porta de casa e saber que mesmo ele não estando, chegará a qualquer momento trazendo o brigadeiro da doceria que ela gosta tanto. Quer beijar, cheirar, morder, beliscar e apertar para ter certeza que a felicidade está ali mesmo… materializada nele.

Quer provar que pode fazer esse homem feliz!

 
 
ELES estão por aí… sonhando um com o outro… talvez ainda nem se conheçam… mas é só uma questão de tempo, até o destino unir essas vidas que se complementam e estão ávidas para amar e fazer o outro feliz. 

Ou alguém duvida que o universo traz aquilo que desejamos?
 

* Texto que recebi por e-mail de uma amiga que amooo.. Mas que caiu como uma luva. Pra vc`s não?

sexta-feira, agosto 17, 2012

Ser você…




Acorde, garota! Você é linda, inteligente, tem um ótimo perfume e seus olhos brilham mais que um punhado de purpurina. Por que chora? Perdeu em alguma esquina seu encanto?! Ninguém pode tirar de você seu mais belo sorriso, motivo de idas e vindas saltitantes. Coloque sua música favorita para tocar, respire fundo e faça o que de melhor sabe fazer: Ser você… — Caio Fernando Abreu.

quarta-feira, agosto 15, 2012

Limite-se ao melhor!



Os limites quem oferece é sempre você! pra TUDO: amor, amizade, trabalho, estudo...
tudo vai até onde vc permite q vá!
Permita-se o MELHOR!
Jamais aceite menos que isso!!

segunda-feira, agosto 13, 2012

Sem dizer nada me diga o tempo inteiro alguma coisa



Preciso sim, preciso tanto. Alguém que aceite tanto meus sonos demorados, quanto minhas insônias insuportáveis. (…) Que me desperte com um beijo, abra a janela para o sol ou a penumbra. Tanto faz, e sem dizer nada me diga o tempo inteiro alguma coisa como eu sou o outro ser conjunto ao teu, mas não sou tu, e quero adoçar tua vida. Preciso do teu beijo de mel na minha boca de areia seca, preciso da tua mão de seda no couro da minha mão crispada de solidão. — Caio Fernando Abreu

quarta-feira, julho 25, 2012

Feliz dia do Escritor, ou melhor, Dia do leitor!


Tem coisas, tem coisas que ele escreve que parecem. Não sei, parecem verdade, entende? Ele me toca, mexe comigo. Talvez eu esteja assim todo lisonjeado porque alguém parece prestar tanta atenção em mim. — Caio Fernando Abreu
Amo..amo..amo..amooo escrever!!!
Nem é novidade eu dizer isso, mas como é um dia muito especial, resolvi vir aqui só para declarar minha, já tão declarada, paixão pela literatura!
Desde sempre, desde que me entendo por gente, sempre adorei ambientes literários, bibliotecas, livrarias, estar cercadas de livros, tenho verdadeira paixão por sebos e pra mim um livro ganha mais valor quando já está velhinho, amarelado e cheirando aquele cheirinho característico de um livro velho, que me faz espirrar mas que todo esse ritual eu simplesmente adorooo!!

E escrever então é paixão sem limites, sem censuras, mas mesmo diante das rasuras me cerco de reticências e aspas para tentar exprimir o que se passa aqui dentro, aí dentro, ao nosso redor...

Então, diante de tanto fascínio, porque não escolhi a carreira literária, cursar letras, linguística ou algo do gênero? Você pode me perguntar... e respondo: Boa pergunta! rs Mas o que realmente AMO, minha essencia é a Psicologia, não tem jeito, é mais do que paixão, é missão de vida, não seria nada nem ninguém se não fosse psicóloga porque isso é o que sou e ponto!
Mas porque não juntar as duas coisas? Pois bem, bingo! É por isso que este blog existe e a essência do "essence" é exatamente esta, expressar paixão pelo ser humano, suas vicissitudes, tentando através das palavras descrever o fascinante universo do ser humano que de tão complexo é singular, único mas ao mesmo tempo passa pelas mesmas experiências de amor, dor, necessidades, perspectivas, expectativas, sonhos etc... Somos todos tão parecidos mas ao mesmo tempo tão diferentes e essa miscelânia de razão e sensibilidade é o que me move, me motiva amar, a cada dia mais, o ser humano em si, e é pelas palavras escritas que posso trazer como simples vislumbre contemplado, através de um vidro, o que transparece pelos olhos, ações e sentimentos toda a janela da alma.

Um especial "Muito obrigada", com carinho gigante, à todos os leitores, anônimos e amigos, que vez ou outra passam por aqui e pegam um pouquinho dessa essência que tento trazer com tanto amor para que assim, como sempre falo, vocês possam sair daqui se sentindo um pouquinho melhores do que quando chegaram.

FELIZ DIA DO ESCRITOR!!
o que por consequência posso parabenizar FELIZ DIA DO LEITOR! pois sem o leitor, o escritor não seria nada!

Bjus com carinho!
Ariane

quarta-feira, julho 11, 2012

Seja nobre, seja divino no desconcerto das emoções.



Hoje quero escrever qualquer coisa tão iluminada e otimista que, logo depois de ler, você sinta como uma descarga de adrenalina por todo o corpo, uma urgência inadiável de ser feliz. Ser feliz agora, já, imediatamente. E saia correndo para dar aquele telefonema, marcar um encontro, armar um jantar, quem sabe um beijo (…) Que depois de ler você chore lágrimas sentidas (chorar é bom, libera energia escura, expulsa venenos que não sairiam do corpo de outra forma). Que você rememore todas as perdas, uma por uma, e pense também na dor física, na solidão sem remédio, na morte inadiável. Para piorar tudo, pense também nisso que chamam de “os destinos do País”.

É burro cantar coisas que eu, tu, ele, nós sentimos? É brega ter desejos e carências e dores e suspiros assim, de gente? Sentir não é brega. Ao contrário: não existe nada mais chique. Emocione-se e seja o rei de sua insensatez. Seja nobre, seja divino no desconcerto das emoções.
 
— Caio Fernando Abreu

segunda-feira, julho 02, 2012

Vai menina...



Vai menina, fecha os olhos.
Solta os cabelos.
Joga a vida.
Como quem não tem o que perder.
Como quem não aposta.
Como quem brinca somente.
Vai, esquece do mundo.
Molha os pés na poça.
Mergulha no que te dá vontade.
Que a vida não espera por você.
Abraça o que te faz sorrir.
Sonha que é de graça. Não espere.
Promessas vão e vem. Planos, se desfazem.
Regras, você as dita. Palavras, o vento leva.
Distância, só existe pra quem quer.
Sonhos se realizam, ou não.
Os olhos se fecham um dia, pra sempre.
E o que importa você sabe, menina.
É o quão isso te faz sorrir. E só.

Caio Fernando Abreu

quarta-feira, junho 20, 2012

Perdão pessoal no verbo infinitivo...


Gente, sempre faço minhas postagens aqui escrevendo na primeira pessoa, como uma conversa aberta, franca, ao pé do ouvido... como quem conversa com uma amiga na qual confia.. e isso, por muitas vezes pode passar a impressão de que este blog trata-se de um diário, um relato preciso e fiel dos meus sentimentos pessoais... Mas apesar de tratar-se sim de sentimentos, nem sempre são pessoais, aliás, este blog não é autoral, não é um diário e não significa, assim, que estou aqui para postar declarações de ódio ou de amor a alguém específico, mas podem ser sim, declarações de amor mas para todos os leitores, para pessoas em potencial, ser humano no qual amo em toda sua singularidade e vicissitudes, conforme afirmo alí do ladinho na descrição de quem sou.. ou seja, sou sim, apaixonada pelo SER HUMANO e por ser assim, quando escrevo, quero dividir experiências, sentimentos, sensações, aprendizado e sim, muito amor e carinho para quem quer que esteja lendo, seja você meu amigo conhecido ou meu amigo que ainda não conheço.

Sendo assim, queria apenas deixar isso claro, para não dar a entender que estou ofendendo alguém quando digo que estou com raiva em algum dia por algum motivo que me motivou a isso, ou que também não estou me declarando indiretamente para ninguém em específico porque quando é assim, o faço direto, com o coração aberto e pupilas atentas..
Quando escrevo sobre alguma experiência pessoal, falo que aconteceu comigo, em tal dia, tal situação etc.. mas quando não, quando há uma música inspiradora, uma mensagem, sitação de alguém etc estou apenas refletindo sobre aquilo, assim como o é a intenção ao postá-los e não um eterno desabafo pessoal, porque se assim o fosse, não seria muita pretenção da minha parte querer inspirá-los com minha própria vida?

Não, não sou inspiração pra ninguém.. somos todos aprendizes da vida, entre quedas e renascimentos heróicos... Fênix e Pardais...somos acima de tudo HUMANOS! em sua essencia... tudo isso e só isso!


Por ser assim, quero deixar aqui meu pedido de perdão caso possa ter postado algumas vezes sobre sentimentos ruins, porém, o fato de estudar psicologia e amar o ser humano já são prerrogativas suficientes para deixar claro que convivo com experiências humanas diariamente, das mais diversas, das mais belas ás mais impressionantes possíveis, e que por ser assim, ainda não desenvolvi o "poder" da insensibilidade ( e pra ser sincera nunca quero) e por ser assim, muitas vezes grito dores que não são minhas, tomo para mim ofenças que não me foram direcionadas e também me apaixono pela paixão em si, romantismo que inspira e me faz escrever... e cá estou... Sim, sou extremamente sensível não no sentido de me "rescentir" facilmente, ou me iludir, mas no sentido literal de SENTIR, o ambiente, a energia, as pessoas... e por ser assim, "sinto muito" e venho aqui e escrevo!

Como todo bom escritor, jamais deixarei de deixar o cheiro do meu perfume pessoal nas minhas letras, contudo, assim como também todo bom escritor, jamais irei expor minha vida pessoal e meus sentimentos reclusos assim, tão clara e abertamente...

Sendo assim, Amo cada um de vocês que chegam aqui pra ler meus sentimentos em palavras, pois quando escrevo penso exatamente em vocês:  no que gostariam de encontrar aqui, para sairem se sentindo melhores do que chegaram, mais inspirados, reflexivos, com essencia e alma... e claro, para que sintam vontade de voltar sempre! Mas escrevo no genérico, pro "pessoal impessoalmente", para todos e pra ninguém... assim, como quem não quer nada... só ser e fazer FELIZ!

Foto: J.M.

Como diz uma música - relíquia- gravada na voz da Maria Rita chamada " Dom Quixote" :
"Somos todos na vida, qualquer um de nós, vilões e heróis"... aqui


Essencia é isso... SER humano e SENTIR humano!

quarta-feira, junho 13, 2012

Colei aquele “Eu Amo Você” no espelho. É pra mim mesmo.

E tô achando bom, tô repetindo que bom, Deus, que sou capaz de estar vivo sem vampirizar ninguém, que bom que sou forte, que bom que suporto, que bom que sou criativo e até me divirto e descubro a gota de mel no meio do fel. Colei aquele “Eu Amo Você” no espelho. É pra mim mesmo.
(Carta a Jacqueline Cantore, Vila de Santa Teresa, 2O.O5.83)

Que seja bom o que vier... foi... indo... gerúndio...

Ouvindo aqui

Quis morrer de novo, engoli outra rejeição — mas estou vivo e, sinto muito, vou continuar. 
(Carta a Jacqueline Cantore. Sampa, 18 de abril de 1985)
Fique feliz, fique bem feliz, fique bem claro, queira ser feliz. Você é muito lindo e eu tento te enviar a minha melhor vibração de axé. Mesmo que a gente se perca, não importa. Que tenha se transformado em passado antes de virar futuro. Mas que seja bom o que vier, para você, para mim.
(Caio Fernando Abreu. Carta a Sérgio Keuchgerian)

Anjo com autismo ou rainha que lambe o chão dos castelos?

Tenho tentado aprender a ser humilde. A engolir os nãos que a vida te enfia goela abaixo. A lamber o chão dos palácios. A me sentir desprezado-como-um-cão, e tudo bem, acordar, escovar os dentes, tomar café e continuar. 
(Caio Fernando Abreu. Carta a Jacqueline Cantore)
Tenho tentado aprender a ser humilde. A engolir os nãos que a vida te enfia goela abaixo. A lamber o chão dos palácios. A me sentir desprezado-como-um-cão, e tudo bem, acordar, escovar os dentes, tomar café e continuar.
(Caio Fernando Abreu. Carta a Jacqueline Cantore)  

 Sabe quando te dá aquela vontade gigante de mandar alguém se Fu&^(%$@? Então!!!
Esse blog é de amorzinho, doce, leve, querido, tipo um carinho na face, afinal minha essencia é esta, carinho, amor sem hipocrisia nem economia.. mas sabe quando vc de certa forma cansa de fazer isso e sua vontade é de, ao invés de carinho, dar um tapa bem dado na cara de alguém? de ninguém, da vida ou na sua própria cara? Pois é! Acontece!
 
Mas calma, não sou violenta não, nem consigo fazer isso de verdade, não assim, deliberadamente nem por violência física nem por palavras de baixo escalão que nem combinam com meu estilo.. mas assim, pra ver se dói, se acorda, se alerta.. como quem grita no vácuo : "Tem alguém aí dentro?"... Pena que no vácuo o som não se propaga neh.. e em peitos de corações vazios ou na inesistência desse, o grito nem vai surtir efeito...
Preguiça e raiva de pessoas vazias... Cansada de perder tempo com passa-tempos!
Vivo de essência e minha alma tem pressa, sede e vamos combinar: Precisa de algo ou alguém pelo menos á altura, o resto é só caridade que a gente faz por aí por ter nascido com a sina encantadora de ser um anjo... Idiota, burro, cego e que sobre de altismo, mas sim, ainda assim um anjo...

terça-feira, junho 12, 2012

Deixa o Sol entrar...

Não sei o que faço, onde fico: tenho muito medo, mas confio em Deus. E apesar do meu medo há em mim uma paz enorme que eu chamo de felicidade. 
(Caio Fernando Abreu. Carta a Zaél e Nair Abreu.)
Noites Com Sol
Flávio Venturini

Ouvi dizer que são milagres
Noites com sol
Mas hoje eu sei não são miragens
Noites com sol
Posso entender o que diz a rosa
Ao rouxinol
Peço um amor que me conceda
Noites com sol

Onde só tem o breu
Vem me trazer o sol
Vem me trazer amor
Pode abrir a janela
Noites com sol e neblina
Deixa rolar nas retinas
Deixa entrar o sol

Livre será se não te prendem
Constelações
Então verás que não se vendem
Ilusões
Vem que eu estou tão só
Vamos fazer amor
Vem me trazer o sol
Vem me livrar do abandono
Meu coração não tem dono
Vem me aquecer nesse outono
Deixa o sol entrar

Pode abrir a janela
Noites com sol são mais belas
Certas canções são eternas
Deixa o sol entrar

segunda-feira, junho 11, 2012

For me... e para todas as "Judes" que John Lenon quis atingir...



Não adianta..sinto = tenho que escrever!! Amoooo esse espaço, já disse mil vezes mas como sou daquelas que dizem "eu te amo" sem economia, eu amooo esse espaço, meu blog, meus sentimentos expressos, minhas confidências e confissões para um interlocutor mudo, que nem sempre responde - ou lê - mas amo muito tudo isso...

Outra coisa que amo muitooo é a música!! (Também sempre disse isso por aqui)
Ela me salva todos os dias, comemora comigo e eu com ela todos os bons momentos e chora e se lamenta junto comigo sempre que estou triste e até grita comigo quando preciso gritar ( sim, pra esses momentos me utilizo do meu 1o soprano agudo e alcanço as notas da Mariah Carey e Kelly Clarkson entre outras rs).
Tenho uma trilha sonora para cada situação da vida, para cada momento uma música especial, cada pessoa me lembra alguma música, algum estilo musical e assim como amo demais o ser humano, adoro todo tipo de música, todos mesmo, de um ecletismo esquisito que de tão inusitado chega a ser engraçado e curioso rs - assim como o são as pessoas, somos todos nós, não é?!

Esses dias tenho passado por uma crise existencial curiosa e gritante, daquelas que doem sabe, tipo uma borboleta saindo do casulo ( acredito que aquele porcesso deva doer) e como muito bem definiu Natalia Klein de "Adorável Psicose"no post "A crise ou um soneto da maturidade feminina é apenas o nome de um chá ruim" a crise é algo que cedo ou tarde pega todo mundo mas que no fundo só serve pra fazer uma faxina na vida e nos lembrar que nem tudo que um dia queríamos é o fim das coisas em si, mas sim o processo então deixa fluir, o importante é ser feliz... E no afã dessa faxina, faxinando meu quarto achei um CD escrito "For me" e me lembrei que a muito tempo trás, tipo assim, mais de 10 anos atrás eu gravei este CD e me lembro que escrevi "For me"como quem escreve uma carta para ser lida no futuro e por coincidência ou sincronicidade, justo neste momento de crise achei novamente o bendito CD.. e nossa.. foi uma surpresa maravilhosa, inenarrável, inexplicável!! Parecia uma carta póstuma, sabe, daquelas que você escreve pra lerem quando você morrer na qual ao invés de lamentar a existência você faz o leitor se lembrar o quanto valeu a pena existir, e este CD me fez lembrar o quanto tudo isso é maravilhoso, incrível e energizante pois viver é isso, uma experiência única e singular, cada um a encara de um jeito diferente pois ninguém é igual a ninguém e essa singularidade do ser é incrível!
Pois bem, o tal CD tinha de tudo - assim como eu disse no início, todos os estilos - de Aerosmith á Zé Ramalho, de músicas como "Imagine" até "Como nossos pais"e pra ser leve tem até "Superfantástico"do Balão Mágico... enquanto ouvia eu ria, chorava, refletia... como é bom termos esta essência pessoal!... Como foi bom um dia ter tido a brilhante idéia, ou intuição, sei lá, de gravar um CD pra que em um belo dia de crise dos 30 eu pudesse ouvir e me lembrar que seja com 15, 20, 30 ou seja lá quantos algarítimos é possível medir um ser humano sem levar em conta suas experiencias pessoais que são inumeráveis, ser feliz é questão de escolha! Vem de dentro e que apesar de chover lá fora, meu girassol são meus sonhos na minha vida de 1,62m de Sol!

Me amo, sabia? hahahaha ok, egoísmo, narcizismo? nomeie como achar melhor, mas ame-se também! Faça seu próprio CD pra si mesma, escreva uma carta para quando estiver com + rugas do que gostaria de ver no espelho, possa enchergar no espelho da alma que esta sim, só envelhece se você quiser e que se amar é o que torna cada dia, todos os dias, dias de muito Sol, música, amor próprio e brilho! Sim, aquele do olhar, corre alí, olhe no espelho e repita pra si mesma: "Eu me amo" e cante sua canção de amor pra si mesma!!

E só para concluir e como não podia deixar de ser, segue a música que me fez chorar e rir ao mesmo tempo ouvindo esse CD:

Hey Jude

Hey, Jude, don't make it bad
Take a sad song and make it better
Remember, to let her into your heart
Then you can start, to make it better

Hey, Jude, don't be afraid
You were made to go out and get her
The minute you let her under your skin
Then you begin to make it better

 And anytime you feel the pain
Hey, Jude, refrain
Don't carry the world upon your shoulders

For well you know that it's a fool
Who plays it cool
By making his world a little colder
Na na na na na na na na

Hey, Jude, don't let me down
You have found her now go and get her
Remember (Hey Jude) to let her into your heart
Then you can start to make it better

So let it out and let it in
Hey, Jude, begin
You're waiting for someone to perform with
And don't you know that is just you?
Hey, Jude, you'll do
The movement you need is on your shoulder
Na na na na na na na na

 Hey, Jude, don't make it bad
Take a sad song and make it better
Remember to let her under your skin
Then you'll begin to make it better (better, better, better,better, better, oh!)
Na, na na na na na, na na na, Hey Jude
Na, na na na na na, na na na, Hey Jude


P.S: E esse "na na na".. eterno no final da música... parece aquelas pausas eternas nos filmes do Stanley Kubrick como "2001 uma Odisséia no espaço" as quais propositalmente existem pra te dar tempo para reflexão... esse infinito "na na na".. é pra isso mesmo.. reflita "litlle woman-girl" and Let be!

quarta-feira, maio 30, 2012

Passou...And go on...

(...)Sem apego. Sem melancolia. Sem saudade. A ordem é desocupar lugares. Filtrar emoções. (Caio)

Praticando o desapego das emoções que cumprem sua missão e vão embora...
Tudo que se prolonga demais perde seu encanto, seu brilho, o perfume se esvae e perde sua essencia... sendo assim deixa passar... passou! And go on...

terça-feira, maio 29, 2012

Sopro de intensidade...



Pensamentos, como cabelos, também acordam despenteados. (…) E às vezes também não há água, mão, nem pente, gel ou xampu capazes de domá-los. Caio Fernando Abreu
Pensamentos, como cabelos, também acordam despenteados. (…) E às vezes também não há água, mão, nem pente, gel ou xampu capazes de domá-los. Caio Fernando Abreu


Eu quero sangue de barata...
quero gritar até ficar rouca...
quero escrever até sangrar, até virar uma verborragia sem fim, sem ponto, nem vírgula e sem pausa pra respirar pra ver se consigo, em fim, exorcisar o suspiro que insiste em me assaltar desprevenida...
O silêncio dói, porque ele sinaliza indiferença e a indiferença sim, dói bastante...
Quero o fim da dor, o botão de "off" para sessar os sentimentos que insistem em permanecer mesmo quando a razão diz pra irem embora...
Como uma criança mimada quero minha realização aqui e agora! E que num piscar de olhos tudo se realize e não somente depois de tanto querer, perder a graça.
Teria graça se fosse fácil sim, instantâneo como o são as demais coisas...

Estranho ter tanto amor pra dar, tanto sentimento pra dedicar, tantos dedos para deslizar em pele, sorrisos e olhares, tanta música pra cantar, tanta inspiração pra dedicar, tanto sentimento pra doar de graça, tanta despretenção, tanta luz, tanto carinho, tanto ser, tanta essencia, tanta paz, tanta e tanto... pra nada? ninguém? que se habilite, se proponha, se doe, se permita, se aliste, prontifique, entregue, mereça, sinta?
É tanto pra tão pouco que de tão profundo se afoga no raso.
Se desperdiça na fluidez das futilidades líquidas.

Ah, a bendita e maldita intensidade!! que insiste em se instalar, nos arrebatar, viciar e depois ir embora assim , do nada, como chegou, sem pedir licença.. e deixa no vácuo um vazio que só é preenchido involuntariamente com a dor da abstinência dos sentidos despetos e da saudade que insiste em doer..
Dor que nos leva a reiniciar as reivindicações iniciais: "quero sangue de barata... gritar..."
Mas se me perguntassem: "Prefere sentir tudo isso dinovo a ter uma vida insonsa e sem dor nem sabor eu responderia prontamente: Deixa sangrar, pois tudo que sangra tem vida e coração que pulsa pra bombear o até então bombardeado coração".

Em tempo: Tô com medo de mim... sinceramente, de onde vem tudo isso? sempre existiu adormecido? a quem devo atribuir os créditos da inspiração? Devo declarar saudades de mim, aquele eu compassivo, calmo e manso? Ou devo declarar que meu avesso pisca pra mim, flerta, me encanta e seduz?
Só sei que sinto..sinto..sinto.. e escrevo! E o que vem de mim só sai pelas lágrimas ou pelas palavras.. que assim seja.

...a chuva que, aos poucos, começa a passar....

Frágil — você tem tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora. Para que o protejam, para que sintam falta. Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço. Um dia mandará um cartão-postal, de algum lugar improvável. Bali, Madagascar, Sumatra. Escreverá: penso em você. Deve ser bonito, mesmo melancólico, alguém que se foi pensar em você num lugar improvável como esse. Você se comove com o que não acontece, você sente frio e medo. Parado atrás da vidraça, olhando a chuva que, aos poucos, começa a passar. — Caio Fernando Abreu
Frágil — você tem tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora. Para que o protejam, para que sintam falta. Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço. Um dia mandará um cartão-postal, de algum lugar improvável. Bali, Madagascar, Sumatra. Escreverá: penso em você. Deve ser bonito, mesmo melancólico, alguém que se foi pensar em você num lugar improvável como esse. Você se comove com o que não acontece, você sente frio e medo. Parado atrás da vidraça, olhando a chuva que, aos poucos, começa a passar.

domingo, maio 27, 2012

Abri os olhos


Se a Sandy não tivesse feito esta música, cedo ou tarde eu fatalmente faria..talvés com outras palavras ou arranjos, mas definitivamente compartilhamos da mesma visão.. aquela que se tem somente quando se abre os olhos...

sexta-feira, maio 25, 2012

Propensa

Olha, eu estou te escrevendo só pra dizer que se você tivesse telefonado hoje eu ia dizer tanta, mas tanta coisa. Talvez mesmo conseguisse dizer tudo aquilo que escondo desde o começo, um pouco por timidez, por vergonha, por falta de oportunidade (…) — Caio Fernando Abreu
"Estou propensa ao amor. Não que isso seja garantia de alguma coisa; Não que isso seja um letreiro na testa, um convite pra festa... simplesmente assim me encontro. Me assumo leve. Ando todo passo firme, embora suave. Trago doçura nos olhos, uma quietude no sorriso, um perfume de calma que é tão raro... tão raro. Derramo o que sinto em tudo o que toco, verdadeiramente. Sou entrega. Sinto quase que o tempo inteiro - e gosto de o fazer. Estar propenso ao amor é um estado de espírito e corpo: é possível notar. Tem o riso mais solto, mais tranqüilo. Os olhos mais brilhantes. Tem as mãos passeando seguras. O corpo desperto. É uma coisa bonita, isso, uma maturidade de sentimento, uma certeza de tudo – nunca sei explicar! Só sei que cabe no meu abraço agora todo o carinho do mundo, e o distribuo sem egoísmo: dou a quem precisa de ombro, a quem precisa de ouvido; dou a tem fome na alma, como tenho sempre eu. Dou porque tenho de sobra e este é o meu estado mais pleno, mais vivo. Não é preciso um par romântico para me sentir completa. Não é necessária a promessa de dois. É um amor maior, este que me toma... Um estado voluntariamente feliz e confiante para com todas as coisas. Que me faz, como agora, dançar sozinha na sala brindando uma taça de vinho com o espelho. Quando essa sensação me acontece... eu já sei: vem aí um mar. E estou a postos para um mergulho profundo."

quinta-feira, maio 24, 2012

Aos amigos que escolho pela pupila!

Já havia lido em algum lugar.. a um bom tempo atrás.. mas hoje li novamente em um testemunhal de uma amiga e me lembrei o quanto diz tudo!!
Adorei.. e lá vai.. Especialmente para meus amigos e leitores do "essence":

"Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Tenho amigos para saber quem eu sou. "

segunda-feira, maio 21, 2012

Pausa pra doer...


"Quem não tiver uma Amy Winehouse dentro de si que se apresente. Vai se apresentar para uma platéia vazia, obviamente, pois nessas ninguém está interessado. Mulheres que não admitem a sua dor – aquelas que são perfeitamente esquecíveis – não merecem nenhuma poesia, ou rascunho, ou rápida melodia, pois se recusam a abrir mão do conforto de uma farsa em nome de uma verdadeira vocação: a de sofrer belamente."
"Quantas vezes você fez seu melhor e segurou o choro com todas as suas forças, mas quando você pisou na sua casa, correu pro banheiro e desmoronou? Quantas?"

"Dói. Se me perguntarem o que acontece, só saberei responder isso: dói. Se me perguntarem onde é a dor, ainda assim só responderei: dói. Tudo tem a ver com aquele grito reprimido, aquele sonho escondido, aquele choro nem sempre contido: dói. Aquela vontade de cortar a garganta para não poder gritar. Aquela vontade de arrancar os olhos só pra não poder ver. Aquela vontade de esmagar o coração só para não poder sentir. Mesmo com todas essas coisas incapacitadas ainda assim doeria. Porque não está na garganta, nos olhos, no coração. Está em toda parte." #CaioFernando

"O pior é quando você tem que virar pra si mesmo e dizer: ”Puta que pariu, não chora!”

"A pessoa não gostar de você ou a pessoa gostar de você mas não querer gostar de você ou a pessoa gostar de você mas não saber gostar de você... é tudo a mesma coisa. Então não filosofa, não tenta entender, não aprofunda. Só cai fora e pronto. Filosofia profunda de uma pessoa cansada." -Tati B. -

"Tenho orgulho do meu coração. Ele foi enganado, pisoteado, maltratado, amassado e continua funcionando."

Continua doendo? Sinal que o pulso, ainda pulsa!


Pensamentos soltos...

"A Clarice Lispector é meu lado fofo. A Tati Bernardi é a minha revolta.
E o Caio Fernando Abreu? Ah, o Caio simplesmente me conhece e sai contando de mim por aí."

Mas posso falar? Tá doendo pracaralho!

"Ele: Não dói usar salto?
Ela: Dói, mas garotas aprendem a suportar a dor sem cair. Mesmo quando o assunto não é sapato."


" Eu sei que dói. É horrível. Eu sei que parece que você não vai agüentar, mas agüenta. Sei que parece que vai explodir, mas não explode. Sei que dá vontade de abrir um zíper nas costas e sair do corpo porque dentro da gente, nesse momento, não é um bom lugar para se estar. Dor é assim mesmo, arde, depois passa. Que bom. Aliás, a vida é assim: arde, depois passa. Que pena. A gente acha que não vai agüentar, mas agüenta"… - Caio F. -


terça-feira, abril 24, 2012

No limiar!



Tenho escrito aqui sobre superação, auto conhecimento, conquistas e vitórias pessoais...quebra de barreiras, preconceitos, medos e sentimentos reclusos. Muita coisa dita, muita coisa a se dizer e a maioria subtendida nas entrelinhas subliminares.. Mas o foco é sempre o mesmo: Crescimento! Crescimento pessoal, interior, de dentro pra fora, de fora pra dentro... pois viver implica crescer.. seja pouco, seja muito, seja significante ou não, mas crescer, modificar, atuar, viver!
Mas quando olhamos pra dentro, de forma analítica, percebemos que nesse crescimento, nessa agregação de valores e conhecimento há muito lixo, muita coisa inútil mas que insistimos em acumular, cultivar e estruturar no nosso jeito de agir, nossa personalidade e depois disso usamos a clássica desculpa "eu sou assim mesmo!". Não, ninguém "é assim mesmo" a menos que escolha ser assim, a menos que aceite e no fundo goste de ser assim, e se assim o for: ótimo! Com tanto que se assuma, sem escusas.
Somos a soma dos valores que agregamos á nossa personalidade, á nossa cultura pessoal com o passar do tempo e por vezes nos esquecemos que somos assim de acordo com as escolhas que fazemos, com as oportunidades que tivemos e não o contrário. "Ser assim" ou "Estar assim" é opcional, seja pra coisas boas ou coisas ruins.
Nesse ínterim de constante formação como ser humano percebemos que cada um de nós possui um limiar, um ponto específico em que define nosso limite, nossa barreira, nossa fronteira interior onde as coisas acontecem, se modificam, se iniciam. É uma área sensorial que varia de pessoa pra pessoa, como por exemplo, se pegarmos um compasso e juntarmos as duas pontas e apertar no braço, a sensação é que existe um ponto só nos apertando, mas à medida que vamos afastando os extremos do compasso, chega um determinado ponto em que sentimos que deixou de ser um ponto só e passou a ser dois: esse é o diâmetro do nosso limiar, nossa delimitação de percepção, ou em outro momento e exemplo, quando algo nos toca.. E aos poucos vai apertando..."não doeu, não doeu, doeu!" esse momento em que "doeu" é o limiar da distancia entre algo que a pouco era indiferente mas de repente passou a ser significativo ao nosso sentido, neste caso a dor. Em nosso interior sentimental é a mesma coisa, temos um limiar de percepção em que algo antes indiferente passa a ser significativo na medida em que lhe atribuímos valores que são singulares e particulares de acordo com nossa vivência, nossa história e nossa percepção de mundo, ou seja, existem pessoas sensíveis á gritos, ignorância e outras nem tanto... existem pessoas que um simples olhar atravessado pode significar uma ofensas e pra outros não quer dizer nada.. já outras pessoas precisam de carinho e atenção constantes, já para outras essa constância é desnecessária...Ou seja, cada um tem seu limiar, um espaço entre dois pontos que delimitam o que nos fere, nos ofende, nos intriga, nos emociona, nos alegra, nos enciúma.. Ou não.
Contudo o limiar é relativo e é neste ponto que quero chegar... Assim como nossa pele é sensível á dor ou ao calor, em um dia e em outros é diferente, o nosso limiar cognitivo é relativo, ou seja, o que ontem não me afetava, de acordo com minha absolvição de valores, amanhã pode me afetar profundamente, pois passei a admitir que determinada ação me atinge e apartir disso, toda ação desse tipo me atingirá. Em outras palavras, eu posso acreditar que o ser humano tem potencial de ser melhor a cada dia, que ele pode evoluir como indivíduo social, pode ser caridoso, bondoso etc., Contudo se por uma decepção eu passar a generalizar e afirmar que o ser humano em potencial é ruim, eu ultrapassarei o meu limiar e passarei a não confiar em mais ninguém, passarei a desconfiar de todos e viverei em constante atitude de autodefesa pra não me machucar outra vez. Ou seja, uma pele ferida terá mais sensibilidade do que uma área em que nunca houve uma cicatriz, contudo não é por isso que eu isolarei essa área, protegendo-a e ao mesmo tempo impedindo-a de respirar.. E assim acontece com nossa mente, nosso consciente, nossa vida emocional, há limiares determinantes que dependendo do que decidimos podemos travar algo, deixar de viver alguma situação e sofrer por uma opção interna ás vezes inconsciente que pode ser prejudicial se não percebermos que o é.
Que possamos olhar pra dentro de nós e determinarmos que nosso limiar seja sensível á coisas boas, positivas e que sejamos inteligentes e maduros o suficiente pra fazer este diagnóstico do que nos faz bem ou nos faz mal de forma inteligente emocionalmente, pois lixos acumulados como medo, exitação, desconfianças e pessimismo podem vir camuflados de auto-proteção, mas na realidade são como freios-de-mão puxados impedindo-nos de avançar, crescer, evoluir e viver, já que Viver, como dito no início, implica muita coisa, mas principalmente nos proporciona novas experiências, as quais devem ser de aprendizado e crescimento e não de regressão e estagnação.
Que possamos viver de forma plena, sem travas, traumas ou defesas pois saber escolher o que nos transforma a cada dia é nosso compromisso consigo mesmo, compromisso de sermos felizes, amados e satisfeitos com a vida e a vida é feita de escolhas e decisões as quais determinam desde o humor que teremos durante o dia até o nosso futuro... E a palavra "limiar" no dicionário, figurativamente significa "começo"...começo de um limite, começo de um ponto diferente do ponto anterior e que assim, em nossa vida pessoal, possamos ter vários começos de coisas boas, decisões altruístas e o começo da decisão em se desfazer daquele lixo que só nos faz mal, nos impede de viver e assim nos priva de termos a cada dia novos começos, novas experiências de felicidade, novos limiares!

Estes pés...



E é na "ponta dos pés" ou "á ponta pés"?
é passo-a-passo ou com os "dois pés no peito"?
é devagar ou na cadência do ritmo? ritmo interno,
da música, do coração...no ritmo do silêncio...
é com pés apressados ou com a sensibilidade da planta dos pés?
áh..estes pés... para onde me levam?
com qual frequência e intensidade?
leveza e vontade?
pés que se apressam em busca da felicidade...
Pés que não temem, não exitam, não mentem...

São estes pés que me acompanham,
me conduzem, me guiam.
Pés que sabem seu tempo, seus saltos, seus desejos,
pés com história, com anseios, sonhos e travessuras...

Meus pés...belos, inseguros e vacilantes,
Pés seguros e flutuantes,
pés que saltam, pulam, saem do chão,
pés plantados, fincados e cravados...
São estes mesmos pés que pisam firme, sobem degraus,
e sabem estar ao mesmo tempo nas nuvens quanto
firmados no chão!

Em outras palavras...



"Que não suspeitará da tua perdição, mergulhado como agora, a teu lado, na contemplação dessa paisagem interna onde não sabes sequer que lugar ocupas, e nem mesmo se estás nela. Na frente do espelho, nessas manhãs maldormidas, acompanharás com a ponta dos dedos o nascimento de novos fios brancos nas tuas têmporas, o percurso áspero e cada vez mais fundo dos negros vales lavrados sob teus olhos profundamente desencantados. Sabes de tudo sobre esse possível amargo futuro, sabes também que já não poderias voltar atrás, que estás inteiramente subjugado e as tuas palavras, sejam quais forem, não serão jamais sábias o suficiente para determinar que essa porta a ser aberta agora, logo após teres dito tudo, te conduza ao céu ou ao inferno". — Caio Fernando Abreu.


... áh..sempre o Caio...

quinta-feira, abril 19, 2012

Vida!!


" Vida é chuva, é sol, uma fila, um olá
Um retrato, um farol, que será que será
Vida é o filho que cresce
Uma estrada, um caminho
É um pouco de tudo, é um beijo, um carinho

É um sino tocando, uma fêmea no cio
É alguém se chegando, é o que ninguém viu
É discurso, é promessa, é um mar, é um rio

Vida é revolução, é deixar como está
É uma velha canção, deus nos deu, deus dará
Vida é solidão, é a turma do bar
É partir sem razão, é voltar por voltar

Vida é palco, é platéia, é cadeira vazia
É rotina, odisséia, é sair de uma fria
É um sonho tão bom, é a vida no altar

Vida
É o grito de gol
É um banho de mar
É inverno e verão
Vida
É mentira, é verdade
E quem sabe a vida
É da vida a razão

VIDAA!!! "

Obs: Música de autoria de Calique e Garay com a belíssima interpretação de Maria Rita como tema de final de ano da RBS TV.

quinta-feira, março 29, 2012

Intensidade!!


Me permito
...
Gargalhadas altas, largas e sem vergonha
Não ter medo de sentir
Chorar de emoção lendo um livro
Sorrir das minhas próprias desgraças
Conversar com meu cachorro
Cantar bem alto minha música favorita
Ver todas as comédias romanticas e querer mais
Me empolgar com as cenas das minhas séries prediletas
Ler 3 livros ao mesmo tempo

Curtir  o aroma do café e depois o sabor
Ver o mesmo filme + de 13 vezes
Conhecer e adorar o mundo da fantasia
Torcer, xingar e gritar vendo futebol
Ser loira ou morena "quando me der na cabeça"
Ter meu próprio estilo
Pintar as unhas de vermelho vivo
Fazer uma tatuagem no pé
Andar devagar debaixo da chuva
Sentir o cheiro da terra molhada
Sorrir para o pôr-do-sol
Sentir o calor do Sol com arrepios
Dar tchalzinho para uma criança ao passar de carro
Dar bom dia a uma velhinha
Olhar nos olhos
Comer sorvete com batata frita sem culpa
Gostar de ouvir os problemas das pessoas
Adorar cheirinho de incenso e música clássica de arrepiar
Falar "Eu te amo" porque eu amo mesmo e ponto
Adorar o gosto amargo do chimarrão e da cerveja
Rir até doer a barriga
Ter ciumes no plural inclusive das amigas, dos meus DVD`s...
Sonhar em ganhar na loteria e fazer planos com o dinheiro
Repetir o almoço de domingo e começar a dieta na segunda-feira
Desistir da dieta na quinta-feira
Chorar e sorrir com minhas amigas
Dormir até cansar e depois dormir denovo pra descansar
Ouvir minha música predileta 1.000 vezes e no último volume
Dar risada alta lendo um livro na fila do ônibus
Encher de beijos e abraços meus pais e irmão
Ter orgulho de ser titia
Ser otimista
Gostar de trabalhar
Amar a Deus e ser a extensão dos seus braços
Gostar de lidar com pessoas
Ter orgulho da Psicologia não só como simples escolha profissional,
mas como missão e estilo de vida
Saber ouvir, ouvir e ouvir, falar e calar
Passar horas no meu quarto lendo, ouvindo música, dormindo, meditando...
Dançar até cair ou as pernas desobedecerem
Perder o fôlego, as rédeas e o juízo
Ter medo de montanha russa
Adorar o mar, água e profundidades
Ser mulher e ter muito orgulho disso
Jantar á luz de velas mesmo sozinha
Adorar escrever e escrever e escrever...
Tomar um vinho e amar minha própria companhia
Caminhar entre o medo e o prazer
Permitir...
Ser Intensa!


segunda-feira, março 19, 2012

Viver!!


"Viver!! E não ter a vergonha de ser feliz...!!"

Sempre carrego "um cântico no coração" e uma trilha sonora na mente pra cada momento da vida e esta velha, e totalmente atual, música do Gonzaguinha, já diz tudo em poucas palavras do quanto é bom, necessário e incrivelmente simples ser feliz ao viver! Sim, viver plenamente o que se há pra viver sem ter vergonha ou qualquer outra coisa que o impeça de ser feliz!
Ser feliz é uma escolha! Atitude perante si mesmo e perante o mundo!
Escolha ser feliz HOJE! AGORA! e o resto é só o resto ;)

Sendo assim, neste momento "trilha sonora", tem uma música que gostaria de compartilhar com vocês e acho que expressa também muito sobre este sentimento:

Tempos Modernos do Lulu Santos

"Eu vejo a vida
Melhor no futuro
Eu vejo isso
Por cima de um muro
De hipocrisia
Que insiste
Em nos rodear...

Eu vejo a vida
Mais clara e farta
Repleta de toda
Satisfação
Que se tem direito
Do firmamento ao chão...

Eu quero crer
No amor numa boa
Que isso valha
Pra qualquer pessoa
Que realizar, a força
Que tem uma paixão...

Eu vejo um novo
Começo de era
De gente fina
Elegante e sincera
Com habilidade
Pra dizer mais sim
Do que não, não, não...

Hoje o tempo voa amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
Não há tempo
Que volte amor
Vamos viver tudo
Que há pra viver
Vamos nos permitir...

Permita-se!! E depois me fale sobre os resultados, tenho certeza que serão os melhores!!

domingo, março 04, 2012

Sonhar? Hoje?



Hoje? hoje... quanta simplicidade há no imediatismo de cada segundo que passa tão rápido que nem nos damos conta da sua real importância e valor... Temos o costume de viver ou presos ao passado ou com os olhos tão fixos no futuro e seus planos e projetos mirabolantes que nos esquecemos de viver o hoje, o agora!!

Mas e quanto aos sonhos? eles se realizam na rapidez da fluidez do tempo? Pode ser que sim, pode ser que não, talvez, quem sabe? O fato é que cada momento vivido é único em sua configuração e intensidade e se nos dispormos a viver cada instante como se fosse o último talvez faríamos da nossa realidade atual, do nosso cotidiano e da nossa rotina uma constante de prazer e alegria sem pretenções ou exigências, apenas ser feliz aqui e agora!

Estes dias em um momento de inspiração escrevi pra alguém: "Viver os prazeres da vida, dos pequenos momentos é o que nos mantem vivos e nos impulsiona para novos momentos, novas conquistas, novos projetos... que de novos "não tem nada" mas mesmos novas conquistas um dia já foram velhos sonhos...

Como dizia o cazuza " o tempo não pára" e ser feliz seja com o novo, com o antigo ou vivendo os prazeres um dia de cada vez não é uma obrigação ou rotina, mas uma motivação propulsora que nos move pra frente, pra cima e avante!"

É bem isso mesmo, sonhar nos remota à realização de algo futuro mas não precisa ser assim, que tal sonhar com algo que posso realizar agora mesmo?

"Se fosse fácil não teria graça" alguns constumam comodamente afirmar, pois eu discordo! Sou a favor das coisas simples, dos prazeres imediatos, dos sonhos que se realizam sim!! e "se fosse fácil teria graça sim"!!

Mas quem disse que os sonhos tem que párar por aí? Sonhe muito, sonhe alto, sonhe todos os dias...

Nasceu um novo sonho em você hoje? Que tal dar o primeiro passo na direção da realização dele? Agora? E porque não?!

terça-feira, fevereiro 28, 2012

I Was Here

É por isso que estou aqui!! Esta é minha Essencia!!



I Was Here
I want to leave my footprints
On the sands of time
Know there was something that
And something that I left behind
When I leave this world
I'll leave no regrets
Leave something to remember
So they won't forget

I was here
I lived, I loved
I was here
I did, I've done everything that I wanted
And it was more than I thought it would be
I will leave my mark so everyone will know
I was here

I want to say I'll live each day
Until I die
And know that I had something
In somebody's life
The hearts that I have touched
Will be the proof that I leave
That I made a difference
And this world will see

I was here
I lived, I loved
I was here
I did, I've done everything that I wanted
And it was more than I thought it would be
I will leave my mark so everyone will know

I was here
I lived, I loved
I was here
I did, I've done everything that I wanted
And it was more than I thought it would be
I will leave my mark so everyone will know
I was here

I just want them to know
That I gave my all
Did my best
Brought someone to happiness
Left this world a little better
Just because
I was here

I was here
I lived, I loved
I was here
I did, I've done everything that I wanted
And it was more than I thought it would be
I wanna leave my mark so everyone will know

I was here
I lived, I loved
I was here
I did, I've done
I was here
I lived, I loved
I was here
I did, I've done
I was here

Eu Estava Aqui
Quero deixar minhas pegadas
Sobre as areias do tempo
Sei que havia algo que
E algo que deixei para trás
Quando eu deixar este mundo
Vou deixar sem arrependimentos
Deixar algo para se lembrar
Então eles não vão esquecer

Eu estava aqui ...
Eu vivi, eu amei
Eu estava aqui ...
Eu fiz, eu concluí, tudo que eu queria
E foi mais do que eu pensei que seria
Vou deixar minha marca para que todos saibam
Eu estava aqui ...

Eu quero dizer que eu vou viver cada dia
Até eu morrer
E saber que eu tinha algo
Na vida de alguém
O coração que eu me toquei
Será a prova de que eu deixo
Que fez a diferença
E este mundo vai ver

Eu estava aqui
Eu vivi, eu amei
Eu estava aqui
Eu fiz, eu fiz tudo o que eu queria
E foi mais do que eu pensei que seria
Vou deixar minha marca para que todos saibam

Eu estava aqui
Eu vivi, eu amei
Eu estava aqui
Eu fiz, eu fiz tudo o que eu queria
E foi mais do que eu pensei que seria
Vou deixar minha marca para que todos saibam
Eu estava aqui

Eu só quero que eles saibam
Que eu dei o meu tudo
Fiz o meu melhor
Trouxe alguém para a felicidade
Deixou este mundo um pouco melhor
Simplesmente porque
Eu estava aqui

Eu estava aqui
Eu vivi, eu amei
Eu estava aqui
Eu fiz, eu fiz tudo o que eu queria
E foi mais do que eu pensei que seria
Quero deixar minha marca para que todos saibam

Eu estava aqui
Eu vivi, eu amei
Eu estava aqui
Eu fiz, eu fiz
Eu estava aqui
Eu vivi, eu amei
Eu estava aqui
Eu fiz, eu fiz
Eu estava aqui

quarta-feira, fevereiro 01, 2012

De dentro pra fora


Como é complicado fazermos mudanças, neh? Toda mudança assusta, tudo que nos tira da zona de conforto, que foge ao nosso controle...
Mas quando falamos de mudanças internas, aquelas que aparentemente não nos moverá externamente para lugar algum, nada de diferente acontecerá externamente, talvez ninguém perceba mas a mudança está lá, em processo.. esta assusta? se sim, mais ou menos do que as mudanças externas?
O fato é que toda mudança exige coragem e tudo que se move, até por uma questão física, promove uma alteração, por menor que esta seja e esta locomoção extrínseca ou intrínseca se faz necessária a cada dia, mesmo quando nem nos damos conta disso.

Mudar internamente, na minha opinião, é mais difícil pois esta sim nos move e pra longe! O querer mudar, o enxergar a  necessidade de mudança já é uma mudança em si e estas sim podem causar um grande impacto em nossas vidas pois uma vez alterados nossos padrões de sentir e viver, por consequência nossas atitudes e reações serão diferentes e estas causarão sim uma alteração visível externamente.

Que possamos ter esta coragem necessária para enxergarmos nossas necessidades de mudança e nos movermos a favor delas, não como pessoas cruéis e críticas consigo mesmas como sadomasoquistas que só enxergam, sentem mas não mudam. Mas sim como serem incríveis que somos e sabemos que podemos ser a cada dia mais.

Que possamos ser antropólogos ( que apenas observam mas não interferem) de uma cultura e diversidade incrível de uma pessoa só: você! e que tal exercício de apenas se auto-observar tenha por consequência natural uma mudança que não exige esforços homéricos nem promessas vãs, mas sim uma natural percepção do quanto temos de bom!

E você pode estar se perguntando: "ela está falando de mudanças, mas ao mesmo tempo diz que é para olharmos o lado incrível que temos, que mudança é esta?" Sim, é isso mesmo, quem foi que disse que temos que mudar somente o que está ruim em nós ou em nossas vidas? porque este padrão de auto-cobrança viciosa e destrutiva tem que partir somente do que está ruim para o que se pretende ficar bom?

A real mudança que proponho aqui é exatamente paramos de nos cobrarmos tanto, nos auto-criticarmos tanto e por consequência nos sabotarmos tanto para darmos espaço e termos tempo de observarmos o quão maravilhosos somos!
Faça um teste: quando vir ou sentir algo errado em você, não se critique, apenas olhe, sinta e observe. Você vai perceber que tal exercício lhe proporcionará, além do auto-conhecimento, uma mudança incrível no modo como você se vê e assim, sem querer, seus atos serão alterados sem sofrimento, sem dor, sem esforço... mudará apenas e unicamente porque você mudou!

Pare de criticar o mundo, as pessoas, o ambiente e a si mesmo e seja a única pessoa responsável pela sua existência!! E isto implica em primeiramente parar de reclamar e depois disso assumir que tudo que você tem ou é foi você quem escolheu ( consciente ou inconscientemente) e até nas coisas nas quais você não possui controle algum, por ser assim, critica-la lhe trará algum controle? Sendo assim aceite! Se aceite!

Assuma as rédeas da sua existência e veja o quão acima e apesar de tudo você é um ser incrível!

Que tal mudança interna seja simples assim, como um estourar de um milho de pipoca e que seja tão gostosa, simples e prazerosa quanto um pacote de pipoca! :)

terça-feira, janeiro 03, 2012

Feliz 2012



Mesmo atrasada gostaria de desejar de todo coração um FELIZ 2012!!

Que seja um ano de muitas realizações, conquistas, transformações, sucesso, paz, muita saúde, felicidade e principalmente muito amor!!! Uns aos outros, respeito, tolerância, empatia, compreensão e fé!

"A estranha mania de ter fé na vida!"

Só desejo que cada um de vocês seja MUITO feliz consigo mesmo em 2012 e o restante será a consequência e o reflexo do seu próprio sorriso!

Amo vocês!

Ariane Melo