quarta-feira, dezembro 30, 2009

Receita de Ano Novo

Não tenho nem o que acrescentar.. faço minhas novamente as palavras do Drummond:



Receita de ano novo
(Carlos Drummond de Andrade)

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido (mal vivido talvez ou sem sentido).
Para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser; Novo até no coração das coisas menos percebidas (a começar pelo seu interior) novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha, você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, não precisa expedir nem receber mensagens (planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Para todos vocês, um ótimo ano de 2010, com muitas conquistas e realizações!

terça-feira, dezembro 22, 2009

Desejo!


ADORO esta época do ano.. verão, clima natalino, família, manjedora, lembrança do menino Jesus, presentes, fogos, desejos de coisas boas, para si e para os outros... maravilha!!
E no meio desses desejos, costumo dizer uma frase do Bial: "Saúde e Paz, o resto a gente corre atrás!" e é bem isso, só peço saúde e paz, pra mim, minha família, amigos, e para todos, pro mundo! O resto a gente corre atrás!
Mas mesmo assim, há pequenos prazeres, pequenos detalhes que nos fazem tão bem, não custam nada e fazem toda diferença em nossas vidas e inspirado nisso nosso célebre Carlos Drummond de Andrade escreveu o poema "Desejo" e como também amo esse poema, dedido e desejo ele todo para cada um de vocês!


"Desejo a você,
fruto do mato,
cheiro de jardim,
namoro no portão,
domingo sem chuva,
segunda sem mau humor,
sábado com seu amor,
filme do Carlitos,
chope com amigos,
crônica de Rubem Braga,
viver sem inimigos,
filme antigo na TV,
ter uma pessoa especial,
e que ela goste de você,
música de Tom com letra de Chico,
frango caipira em pensão do interior,
ouvir uma palavra amável,
ter uma surpresa agradável,
ver a banda passar,
noite de lua cheia,
rever uma velha amizade,
ter fé em Deus,
não ter que ouvir a palavra "não",
nem nunca, nem jamais adeus.
Rir como criança,
ouvir canto de passarinho,
sarar de resfriado,
escrever um poema de amor
que nunca será rasgado,
formar um par ideal,
tomar banho de cachoeira,
pegar um bronzeado legal,
aprender uma nova canção,
esperar alguém na estação,
queijo com goiabada,
pôr-do-sol na roça,
uma festa,
um violão,
uma seresta,
recordar um amor antigo,
ter um ombro sempre amigo,
bater palmas de alegria,
uma tarde amena,
calçar um velho chinelo,
sentar numa velha poltrona,
ouvir a chuva no telhado,
vinho branco,
bolero de Ravel...
e muito carinho meu
!"
Feliz Natal e ótimo Ano Novo!!

domingo, dezembro 13, 2009

Sem medo de ser feliz!

Quando todos seus piores medos e pesadelos se tornam realidade, não se tem vergonha e medo de mais nada!!


Formulei a frase acima refletindo em tanta coisa.. experiências, constatações, histórias etc..
Somos seres tão medrosos. Nossos sistema nervoso inteligente foi criado para termos medo como forma de defesa, proteção, preservação da vida e espécie, mas usamos essa"forcinha física" de desculpa para nos apegar a medos maiores e de medo em medo muitas vezes travamos nossa vida e deixamos de viver e ter experiências ótimas pelo simples fato de ter medo de viver!
Ninguém está imune a isso e ter medo, principalmente quando já se teve uma experiência ruim que não se quer repeti-lá é até inteligente, mas até que ponto proterger-se com o medo é uma forma inteligente e saudável de se viver? Será que valerá a pena viver, sei lá, até os 80 anos, com toda proteção e de medo em medo até chegar ao final da vida sem ter sofrido mal algum, sem repetir medos ou ter que enfretá-los mas ao mesmo tempo sem ter tido coragem de viver a vida com intensidade?

Já tive muito medo de muita coisa, mas mesmo assim já tive que enfrentar tantas situações que não pude evitar, controlar e conter e quando no ápice da dor percebe-se que o pior de tudo, aquele medo que não se tem coragem nem de dizer em voz alta se torna realidade e acha-se que vai morrer.. pronto.. passa! Sim, experiências..o medo antecede a dor, mas quando é impossível evitá-la, a dor passa e o medo também e o que resta é a reflexão mas também a certeza de que não se morre disso! Ninguém nunca morreu de medo como tantas vezes afirmamos esta frase mas de forma figurativa... e se o medo é uma forma de no final das contas nos proteger da morte mas esta não acontece, pronto, pra quê continuar a ter medo? ou vergonha? e não são só medos de sofrimentos físicos, medo de altura, medo de insetos, animais etc, mas medo também da solidão, da traição, de perder um amor, do constrangimento ou exposição social, de se fazer o que se gosta mas que todos condenam... de seguir o próprio coração de forma irracional... em fim.. medo cada um tem o seu! na proporção que lhe apetece..mas é medo!

Quanto á mim, não tenho medo de mais nada!!!

domingo, dezembro 06, 2009

Abrir os olhos e enxergar!


"Abri os olhos, não consigo mais fechar..." Ouvindo esta música da Sandy (sim, eu adoro a Sandy e estou ansiosíssima pelo novo album dela, mas este é outro assunto, rs) fiquei refletindo sobre várias coisas e quando páro pra refletir o pensamento voa longe, viaja, voa nas asas da imaginação e criatividade sem fim... é tão bom mas será que é bom mesmo? Até que ponto é bom abrir os olhos e enxergar as coisas e a vida como realmente ela é e encarar a realidade de que nem tudo é como sonhavámos, que os planos que um dia fizemos nem sempre são tão fáceis de se alcançar e questionar verdades absolutas que ao se questionar passa-se a encara-las como verdades relativas, subjetivas... reflexões inconclusivas!
Um grande amigo postou em seu blog que acompanho e recomendo (Identidade Pos-moderna) um post que abordava até que ponto é bom saber toda a verdade, pois esta nos liberta ou nos escraviza? saber de tudo é bom ou enxergar a vida usando óculos cor de rosa é + saudável mesmo não sendo a realidade e sim uma alienação? O fato é que sou e sempre fui do tipo que ainda prefiro saber de toda verdade, sinceridade sempre, verdade e clareza em primeiro lugar e meu eterno questionar sempre me fez enxergar até "o que eu não quero enxergar", ver e antecipar ações e reações antes mesmo das pessoas terem consciência disto. É legal ser assim? nem sempre! As vezes machuca enxergar certas coisas, decepcionar-se com pessoas, descobrir mentiras etc, mas por outro lado também faz bem, ninguém nos engana, nos passa pra trás e se isso acontece é só quando permitimos que assim seja e não por ignorância. Acho que maturidade é isso! Seria legal voltar a ser criança e agir inconsequêntemente? sim, seria e era super legal ser criança, mas a vida não pára e sem termos opção de escolha crescemos, hoje somos adultos e nesta altura da vida cabe a cada um de nós ter coragem e encarar a vida de frente e amadurecer com ela ou prender-se a inconsequências infantis pro resto da vida pois cada um de nós temos sim esta escolha que é o livre arbítrio, contudo as consequências vem, querendo-as ou não.
Quanto á mim, tenho coragem e peito suficiente pra amadurecer e encarar a vida com esta visão e as consequências que isso trás! Sim, abri os olhos e não consigo mais fechar!! E sou muito feliz e satisfeita comigo mesma sendo assim!
"Sei mais do que eu quis
Mais do que sou
E sei do que sei
Só não sei viver
Sem querer ser
Mais do que sou
O fato é o ato da procura
E a cura não resiste só
O que era certo eu descobri
Nem sempre era o melhor
Abri os olhos
Não consigo mais fechar
Assisto em silêncio
Até o que eu não quero enxergar
Não sei afastar
A dor de saber
Que o saber não há
Só não sei dizer
Se esse meu ver
Se pode explicar
Enquanto eu penso, tanto entendo
Que é mais fácil não pensar
O que era certo, eu aprendi
A sempre questionar..."


http://www.youtube.com/watch?v=1YlJsJlJ3cc

terça-feira, dezembro 01, 2009

Terças-Feiras e Pé de Couve



Uma das maiores especialidades das mulheres é conversar sobre suas experiências de vida entre si, entre amigas é uma constância infinita e entre amigas que passam pela mesma situação então? sai de baixo, senta que lá vem história.. é muita risada, desabafo, confidências, revezamento de ombro 24x7 e muita paciência e amor...
Em um desses momentos de "catarse" (expressão Freudiana para desabafo) surgiu à pérola: "Puxa, ele simplesmente ignorou minha existência, como se eu fosse um pé de couve!"... hahahaha..Pois é.. bem isso mesmo, não há explicação para o fato de duas pessoas que passaram várias experiências juntos, vários anos juntos e der repente, após o fim de uma relação, um dos dois simplesmente desaparece, não quer saber se o outro está vivo, morto, doente, rico.. nada! como se fosse um ser inanimado, com a indiferença destinada á um "pé de couve" por exemplo! rs
Outra pérola foi a de uma de nós contar que está carente hoje, sei lá por que...após aquele silêncio reflexivo e empático, outra fez a seguinte observação: "Isso acontece com você toda terça-feira!"... hahahaha... Após ligar os pontinhos, fatos aos casos, não é que era verdade! Todas as vezes que bateu aquela carência e ela se sentiu assim, ou assado, fez isso ou aquilo coincidência ou não era terça feira! (Freud deve explicar isso também) rs.
O Fato é que mesmo dando tom de piada aos papos femininos a cerca de seus relacionamentos e suas peripécias, a suma é que carência é comum não só no universo ou conversas femininas mas em todo ser humano que sente, chora, ri e ama e como fruto disso tudo decepções e realizações são comuns e conversas desse tom também, tão comuns e rotineiras como os dias da semana e seus respectivos legumes! rs

Amigos para saber quem eu sou

Já havia lido em algum lugar.. a um bom tempo atrás.. mas hoje li novamente em um testemunhal de uma amiga e me lembrei o quanto diz tudo!!
Adorei.. e lá vai.. Especialmente para meus amigos e leitores do "essence":

"Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Tenho amigos para saber quem eu sou. "

segunda-feira, novembro 30, 2009

Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças



Faz um tempão que comentam pra mim, recomendam e falam que eu iria adorar assistir o filme "Brilho eterno de uma mente sem lembrança", contudo não sei explicar os motivos mas nunca deu certo, algumas vezes procurei e não achei na locadora, em outras não lembrava o nome do filme e assim foi.. e costumo dizer que certos filmes tem hora certa para serem vistos, tem que estar no clima pra entender, estar com vontade daquele determinado estilo, naquele dia, naquela hora... meio que por sexto sentido eu seleciono esses tipos de filmes mais densos para vê-los e sempre deu super certo. Como mais uma prova desta minha "teoria pessoal inexplicável", assisti esse final de semana este filme e não poderia ter sido em hora melhor... se eu tivesse visto em outra época talvez não tivesse entendido, ou teria surtido efeito diferente do que senti.
O filme aborda a ficção da possibilidade de se usar um procedimento para apagar determinadas lembranças e neste caso, os personagens escolheram apagar todas as lembranças que tinham do relacionamento amoroso que haviam terminado.. e na trama conseguimos notar sutil ou claramente que todos nós já passamos pela mesma situação, a de se possível apagar toda lembrança e por conseqüência, apagar de vez a existência de determinada pessoa da nossa lembrança e da nossa vida.
A memória é uma caixinha de surpresa.Pesquisadores, estudiosos, psicólogos, psiquiatras, neurociêntistas e tantos outros profissionais já tentaram de diversas maneiras explicar e manipular a memória, mas até hoje, em pleno século XXI no auge da tecnologia e descoberta da célula tronco, ainda não conseguimos dominar nossas lembranças e as dores que delas advêm ou a felicidade que nela existe, pois como diz um ditado popular " recordar é viver!" e isso de fato acontece pois quando nos lembramos de algo, nosso cérebro não consegue distinguir ao certo se é realidade ou se é só lembrança e por isso acabamos sentindo as mesmas sensações que sentimos no momento vivido, pois o cérebro achando que é real libera as substâncias químicas como se fosse real, seja uma serotonina ou dopamina da alegria ou um ácido que dá aquela dor no estômago...
O fato é que o filme me fez parar pra refletir que se fosse possível apagar as lembranças, será que eu o faria? Talvez por hora seria ótimo pois aplacaria minha dor, mas por outro lado perderia um tesouro preciosíssimo que é "viver" e ter experiências desta vida, pois se não fosse pelas nossas lembranças não existiríamos e não seríamos quem somos, já que somos a soma das nossas experiências e as conseqüências disto, as escolhas que tomamos baseadas nelas, ou seja, lembrar é preciso... e mesmo quando tais lembranças nos remetem á uma dor, um sofrimento ou a uma pessoa que ainda amamos e queríamos ter o poder de apertar um botãozinho pra esquecer, mesmo assim, é melhor não fazer.. é melhor viver e aprender a lidar com tudo isso...
Não vou contar o final do filme para não estragar para quem ainda não viu e recomendo que assista.. Mas minha opinião pessoal dividem-se em duas hipóteses, ambas agradáveis: a 1º é que apagaria sim, pois além de não sofrer mais com a saudade, as palavras ruins trocadas no calor da raiva e os momentos ruins, apagaria também pois haveria a chance de recomeçar tudo novamente, contudo se isso acontecesse não haveria aprendizado, não haveria evolução, não haveria referência de coisas ruins para que tais coisas não fossem repetidas, ou seja, levando em consideração que continuariam sendo as mesmas pessoas, com os mesmos traços de personalidade etc a probabilidade de repetir-se os mesmos erros seria grande o que ocasionariam nos mesmos atos que levariam a tais consequências e por fim o rompimento e dor pelo final do relacionamento... Mas por outro lado, a 2º hipótese e tese é que não apagaria minhas lembranças não, nem apagaria uma pessoa delas pois mesmo que as lembranças ainda façam sofrer, também fazem viver ao lembrar as coisas boas que vivemos, as vezes que rimos átoa, os filmes, viagens e amigos que fizemos juntos... as experiências de vida trocadas, os momentos de aprendizagem, as lágrimas confidentes.. em fim... e com isso, haveria a possibilidade de evolução, crescimento pessoal, amadurecimento e por consequência, quem sabe um dia, baseado na esperança( que costuma ser a última a morrer) há um reencontro e desta vez, conscientes conseguem fazer tudo diferente e aí sim haverá um final feliz!
Em fim, quem poderá prever ou quem poderá voltar no tempo para fazer tudo diferente? ninguém! pois se pudessemos ver o fim desde o começo, tudo seria diferente e nossas ações seriam pautadas pelos acontecimentos e não pela expontaneidade e liberdade! E como seres humanos, nossa essencia é a liberdade e não a coisa chata da previsibilidade e por ser assim, conscientes ou insconcientes no final buscamos mesmo é o frio na barriga da novidade ou o desafio da luta pelo que se quer com todas as forças reconquistar e tal essencia dá o tom que nos move e nos move pra frente e não pra trás.. pro futuro e tudo que ele nos reserva e não para as memórias que devem ser respeitadas mas não levadas e tratadas como sendo o que nos guia.
E como diz certa música "Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi!" e viver é isso!

segunda-feira, novembro 23, 2009

Coração


Onde nascem as fontes da vida
E os loucos duvidam de Deus
Onde negros se tornam os dias
E os homens se acham mais seus
Quem despeja na boca as palavras,
Transformando-se em pedra o cristal
Quem desenha na face a beleza,
Mas se torna o carrasco no golpe final
Coração, entre o bem e o mal,
Que distância haverá?
Coração, um amigo, um bandido talvez,
Quem te conhecerá?
Onde o ódio encontra raízes
E o amor se mistura à paixão
Onde a vida nos traz cicatrizes
E o desprezo se faz solidão
Quem despeja nas veias a vida
E na morte é silêncio fatal
Quem conhece a verdade da história,
A cruel testemunha no lance final
Coração, entre o bem e o mal,
Que distância haverá?
Coração, um amigo, um bandido talvez,
Quem te conhecerá?

quarta-feira, novembro 18, 2009

Obliquamente



"Desejamos secretamente, escolhemos obliquamente, e o amor conduz a um eu dilacerado e misterioso" (Codina)

quinta-feira, novembro 05, 2009

Step by step



Decisão, ação... um passo após o outro...
Um passo pode fazer toda a diferença!
Mas o importante é saber que tal passo deve ser impulsionado pra frente, adiante, avante... seguir em frente!
Com um passo de cada vez se chega ao longe...

segunda-feira, outubro 26, 2009

Intensidade e Leveza



Escrevi a uns posts atrás sobre a "Intensidade" e simplesmente ADOREI a inspiração, a sensação.. foi com intensidade que escrevi tudo aquilo e é com intensidade que sinto todas as coisas... e sinceramente adoro ser assim!
Refletindo sobre tudo isso e lendo alguns textos da Clarice Lispector que ADORO, li um que descreve exatamente como me sinto:

" Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!
Clarice Lispector"

Muito show.. tudo a ver!!

Hoje me sinto ótima! E percebo que toda vez que penso na intensidade dos sentimentos, percebo o quanto cada ser humano tem a capacidade singular de ser intenso, de poder sentir, pensar, falar ou fazer qualquer outro verbo com intensidade e profundidade...
Escrevi em outro post também sobre a "Leveza" e lá mencionei também o quanto é importante e fundamental ser leve e encarar a vida de tal forma também...
Ou seja, Ser INTENSO e ser LEVE são os extremos de um ser humano sem limites, que pode fluir de um ao outro sem cerimônias, as quais tantas vezes nos privam e nos impedem de fazer isso com total auto-confiança, transparência e independência!

Vivas á Liberdade, á Intensidade e á Levidade!
Pois viver é isso, um pouco disso e muito mais que isso!

quarta-feira, outubro 21, 2009

Perdas e Ganhos




Em um dos livro da escritora Lya Luft chamado "Perdas e Ganhos" que adorei ler, fala, como o próprio título sugere, sobre as perdas que temos na vida mas que ao mesmo tempo tornam-se em ganhos, pois tudo na vida passa e abre espaço e caminhos para novos ganhos, novas experiências, que um dia irão tornar-se por sua vez em perdas e assim por diante...É como uma amiga uma vez me disse: "É preciso esvaziar a água para beber o vinho", ou seja, na ânsia de se ter tudo não conseguimos saborear o verdadeiro gosto de nada... o nada que um dia fatalmente perderemos sem ter curtido de verdade e intensidade o que deveria ter sido curtido.
Não é fácil perder. Nossa criança interior grita e faz birra ao não conformar-se em perder algo que tanto julgava ser seu, sem saber que nada nos pertence de verdade, nem pessoas, nem objetos, nem nossa própria vida...
Refletindo e sentindo-me assim, como uma música do Damien Rice "Cannonball" sentido-me como quem flutua com a leveza de uma bala de canhão... Sim, pesado, ferido, sem chão... na verdade com um buraco no peito no formato de uma bola de canhão... sim, dói! encerando ciclos...perdas!
Neste livro, Lya menciona uma frase que me fez refletir bastante: " Não somos nossas circunstâncias, somos nossa essência!"... Ou seja, nesses momentos de perda nos transformamos e passamos a agir com amargura, desesperança, peso... o que na verdade não reflete o que realmente somos mas sim a atual circunstância. Somos nossa essência e não podemos deixar que as circunstâncias tirem o brilho da real essencia do nosso ser, nossa real leveza a qual aos poucos voltará a brilhar, com o tempo e com as reflexões que no final tornarão tais perdas em ganhos, em aprendizagem, em bagagem, em vivência!
E pra terminar minhas palavras e aprofundar-se em mais reflexões, segue abaixo um dos textos de Fernando Pessoa que tanto gosto:

"ENCERRANDO CICLOS
Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final..
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais?
Partiu para viver em outro país?A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu.
Pode dizer para si que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó.
Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora.
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor.
Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal". Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará.
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa, nada é insubstituível,um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.
Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu própria, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..
E lembra-te :“Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão”
Fernando Pessoa "

"Tudo que amo deixo livre, se voltar é porque conquistei, se não é porque nunca as possui... "

sexta-feira, agosto 14, 2009

Intensidade


Me permito
...
Gargalhadas altas, largas e sem vergonha
Não ter medo de sentir
Chorar de emoção lendo um livro
Sorrir das minhas próprias desgraças
Conversar com meu cachorro
Cantar bem alto minha música favorita
Ver todas as comédias romanticas e querer mais
Me empolgar com as cenas das novelas
Ler 3 livros ao mesmo tempo
Ver o mesmo filme 13 vezes
Conhecer e adorar o mundo da fantasia
Torcer, chingar e gritar vendo futebol
Ser loira e morena em intervalos de 6 meses
Ter meu próprio estilo
Pintar as unhas de vermelho vivo
Fazer uma tatuagem no pé
Andar devagar debaixo da chuva
Sentir o cheiro da terra molhada
Sorrir para o pôr-do-sol
Sentir o calor do Sol com arrepios
Dar tchalzinho para uma criança ao passar de carro
Dar bom dia a uma velhinha
Olhar nos olhos
Comer sorvete com batata frita sem culpa
Gostar de ouvir os problemas das pessoas
Adorar o gosto amargo do chimarrão
Rir até doer a barriga
Falar "Eu te amo" sem medo
Chorar de amor
Ser otimista
Ter ciumes
Sonhar em ganhar na loteria e fazer planos com o dinheiro
Repetir o almoço de domingo e começar a dieta na segunda-feira
Desistir da dieta na quinta-feira
Chorar e sorrir com minhas amigas
Dormir até cansar e depois dormir denovo pra descansar
Encher de beijos e abraços meus pais e irmão
Ter orgulho de ser titia
Gostar de trabalhar
Gostar de lidar com pessoas
Ter orgulho da Psicologia como estilo de vida
Saber ouvir, falar e calar
Passar horas no meu quarto lendo, ouvindo música, dormindo, meditando...
Dançar até cair ou as pernas desobedecerem
Ter medo de montanha russa
Adorar o mar, água e profundidades
Caminhar entre o medo e o prazer
Permitir
Ser Intensa!

terça-feira, agosto 11, 2009

É Proibido!



É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,

Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos

Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,

Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,

Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,

Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,

Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Pablo Neruda

quinta-feira, julho 30, 2009

Leveza



"Eu queria ter a sensibilidade e a simplicidade de captar na vida esses momentos de leveza.. leveza do decidir, leveza no falar, leveza no tratar, leveza do ser... leveza de um espírito livre, livre de preconceitos e pré-conceitos, livre das mesquinharias que o ser humano insiste em pegar para si e perpetuar coisas fúteis e pequenas... leveza de um caráter que não precisa gritar e se anunciar para ser ouvido e sentido, leveza de uma personalidade forte mas frágil, que com sua constante inconstância tenha a levidade e a simplicidade de se reciclar sem ninguém notar... Queria ter a leveza dos pássaros que vivem leves, livres e soltos, e quando há necessidades vitais, migram para outro lugar mais quentinho e confortável sem a menor cerimônia e talvez seja esse espírito livre que os fazem tão leves e não o contrário...
Porque na vida temos vários momentos de intensidade, profundidade e propriedade, mas os mesmo são necessários exatamente para que culminem em momentos de qualidade, leveza e liberdade!
Que sejamos e estejamos atentos a essa necessidade simples, mas importante de liberdade, leveza e simplicidade, pois uma vida leve é bem mais fácil de se levar! "

Publicado aqui no meu blog no dia 02/12/06 e por ser um dos meus posts prediletos pela inspiração e plenitude resolvi postá-lo novamente.

segunda-feira, julho 20, 2009

Apenas uma pausa para reflexão...



Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.
Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.
Como aliviar a dor do que não foi vivido?
A resposta é simples como um verso:
Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

Definitivo
Carlos Drumond de Andrade

Se fosse fácil teria graça SIM!



Se fosse fácil teria graça sim!!
Porque tudo tem que ser tão difícil e competitivo? Não seria bem mais legal se cada um tivesse seu lugar ao sol garantido, assim, sem vencedores nem perdedores, apenas felizes?!
Aquela frase de que se fosse fácil não teria graça é apenas um consolo para aqueles que não querem desanimar da luta, mas no fundo seria bem mais legal se fosse fácil...
Pois acredito que o calor do desafio não compensa a dor da derrota, da competição injusta, das trapaças e covardias!
Queria que todos tivessem seu lugar, sua realização, seu posto, seus sonhos realizados... essa utopia sim teria graça se fosse fácil!

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=91546400

sexta-feira, junho 19, 2009

Escolhi Acreditar


Modernas teorias,novas formas de pensar
Existem por aí nos meios intelectuais
Que vão do ateísmo mais profundo e radical
Até o humanismo com tinturas sociais

E hoje mesmo a crença tenta se modificar
E quer que o homem seja o fim de sua pregação
Senhor dos seus problemas,dos seus sonhos e ideias
Buscando aqui agora a total libertaçao

No entanto eu escolhi acreditar
Que existe um plano para a salvação
E que há um Deus no céu
A governar o meu viver
Mas que me dá poder ate pra
Aceita-lo ou não
O seu reino é liberdade e é amor
Espera sem forçar a decisão
Ele é descomplicado, não confunde o pecador.
E fala tanto a minha mente quanto fala ao coração.

O ser humano hoje
só se volta para si
Buscando atender necessidades essenciais
Mas sem levar em conta que há uma vida superior
Que poderá suprir os seus anseios mais reais.

E há os que procuram tudo racionalizar
Só crendo no que a ciência e a cultura pode ver
Querendo um milagre pela lógica explicar
Se fecham para as coisas do espírito e da fé

No entanto eu escolhi acreditar
E esperar assim em meu Jesus
Filósofos e mestres nunca irão avaliar
Aquilo que o amor de Deus mostrou na cruz
O meu Deus é poderoso e é real.
Só nele eu encontrei,enfim,perdão.
Prefiro depender de Sua força sem igual
E quero ter,então,por Ele,transformado o coração

quarta-feira, junho 17, 2009

Auto-beleza


É muito bom ter alguém ao lado com a auto-estima alta, é bom estar ao lado de alguém que se ama, se valoriza, gosta de sua aparência, suas qualidades... e não tem medo de saber disso!
Pensando nisso posso concluir que é muito melhor ser uma pessoa assim também, sem medo do narcisismo, pois qualquer pessoa gostará de sua companhia, gostará de ter ao lado uma mulher que se ama, se valoriza, se gosta, gosta de sua aparência e está de bem com o espelho, seu cabelo, seu corpo, seu sorriso, seu jeito.. gosta de suas nuances de meiguice e fortaleza, inteligência e ingenuidade, esperteza, garra, competência, força, idealismo, sabe o que quer, onde, como e quando quer chegar!
Quero ser sempre essa pessoa que se ama acima de tudo e reflete amor próprio com brilho pessoal, carisma, simpatia, bom humor e auto-confiança, pois acima da opinião alheia, gostar da própria companhia é muito mais importante, se bastar, se entregar aos próprios pensamentos sem cilada, sem auto-sabotagem mas sim adorar ficar a sós consigo mesma, ouvindo os próprios pensamentos, se cuidando, adorando se olhar no espelho e gostando muito do que vê e também do que não vê, sendo e se sentindo linda de verdade pois beleza é atitude!
Costumo dizer que o bom de envelhecer é possuir essa maturidade em não ter mais aquela insegurança típica da adolescência mas sim uma auto-confiança de não ter mais medo de ser e de sentir, de se bastar, se entregar, se assumir e confiar no próprio “taco”.
Se amar é isso, é amar a própria Cia e saber que por ser assim as pessoas ao seu redor conseqüentemente também adorarão ter uma pessoa tão fantástica como você por perto.

sexta-feira, junho 05, 2009

Química da Paixão


Estava trocando e-mails aqui com minhas amigas e desses e-mails sempre saem assuntos polêmicos, pérolas e grandes risadas... momentos deliciosos!
No assunto de hoje estávamos comentado o poder que certos filmes tem sobre nós, o quão é gostoso assistí-los e muitas vezes assistimos mais de uma ou duas vezes, assistimos várias vezes e o tema era "porque é assim?" Comecei a divagar sobre o assunto e queria compartilha-lo com vocês...
Bom, racional e psicologicamente falando, nós somos atraídas pelos sons, belas fotografias, pelos efeitos especiais, pelo sobrenatural, pelo fantasioso, pelo irreal e de tão maravilhoso surreal e tudo isso provoca uma sensação de bem estar, de aconchego, de realização quando vemos cenas ao assistir filmes que o nosso cérebro não distingue se é real ou não.. ou seja, porque será que nós mulheres adoramos assistir filmes romanticos? Porque isso supre nossa necessidade de romantismo na vida real.. e mesmo quando estamos fartas disso (quase uma lenda) ainda assim continuamos querendo mais e mais porque quando estamos em um ambiente romantico (com alguém ou vendo um filme) nosso cérebro produz substâncias químicas que viciam, uma droga que causa dependencia...
É uma verdadeira overdose de substâncias químicas como: adrenalisa (ação, empolgação), ocitocina (paixão), feniletilamina(neurotransmissor da paixão), dopamina (calmante do amor) e serotonina (alegria, euforia)... ou seja, impossível se controlar e resistir neh!

Mas aí vem aquela afirmação fatídica: "Filme é uma coisa, realidade é outra!" e químicas diferentes bombardeiam nosso cérebro deixando-nos deprimidos com a constatação de quem nem tudo é Hollywood, como quando comemos açucar demais e tudo fica lindo, derrepente a taxa de açucar no sangue cai e temos uma hipoglicemia trazendo uma sensação horrivel...
Ok, é assim mesmo e com todo mundo, a discrepância entre a realidade e a fantasia é grande, ainda mais para quem não tem ninguém ao lado e surgem frases previsíveis como: "calma, uma hora vai aparecer alguém legal", é péssimo de se ouvir porque você já está cansada de ouvir e pior, de esperar! Mas infelizmente é real, calma.. uma hora aparece alguém legal, só não baixe a guarda nem deixe a peteca (auto-estima) cair, afinal como dizia nosso Frejat (procuro um amor q seja bom pra mim, vou procurar eu vou até o fim... pode ser q eu a encontre numa fila de cinema, na esquina, ou numa mesa de bar)... e se até o Frejat já filosou sobre isso é sinal que o problema não é com você amiga, mas com todo mundo!

Sendo assim, aí vai uma dica: se assistir a um filme que mistura ação, suspense, sobrenatural, desafio e romance causa toda essa liberação hormonal tão legal, imagine o que pode acontecer quando nós quem causamos uma overdose de sensações em alguém?
Ou seja, se queremos que alguém fique literalmente viciado em nós basta provocar neste alguém sensações reais sendo mulheres agradáveis, divertidas, frágeis, perfumadas, enchendo-os de elogios e de amor.. é tiro e queda!
Receita: Usarmos a química da paixão a nosso favor e química funciona!

segunda-feira, maio 25, 2009

Força Motriz


O que te motiva? O que te impulsiona? que força te faz levantar da cama pela manhã? que intenção te move a fazer coisas nem sempre agradáveis? qual pensamento te faz seguir em frente e não voltar atrás quando é mais fácil? que imagem aparece á sua frente e te faz prosseguir mesmo quando tudo te empurra na direção contrária? que sonho te faz suspirar instantaneamente? o que te move? qual sua mola propulsora? qual sua força motriz?
Todos nós temos motivos e motivações para prosseguir, para alcançar um objetivo, para viver bem, motivos tais que não nos deixa desistir diante ás adversidades e motivações tais que fazem nossos olhos brilharem quando estamos cada vez mais pertinho da realização de um sonho ou objetivo, depois de tanto esforço.
Notem que estou abordando "motivos" e "motivações" como sujeitos distintos e por que tal abordagem? Porquê ás vezes temos mil motivos pra prosseguir mas não conseguimos, contudo quando temos apenas uma motivação conseguimos continuar um caminho sem problemas, ou seja, "motivo" remete á razão, dados concretos, já "motivação" remete á sonho, dado implícito, pessoal e singular.
Com isso quero deixar aqui o questionamento para reflexão: Qual sua força motriz? o que te move de um lugar a outro e não só move, mas transforma, evolui, faz crescer seja como pessoa ou profissional?
Que sua motivação ou seus motivos estejam sempre á frente, sempre em mente te motivando á se mover, buscar, lutar, alcançar e por fim realizar, movendo-o assim do ponto do querer para o ponto do conseguir!

segunda-feira, maio 11, 2009

Marian Keys

Ai que delícia, acabo de ler um dos livros da Marian Keyes e a reação é sempre esta: a de que foi ótimo e um gostinho de quero mais!
Os livros da Marian Keyes abordam temas atuais, do cotidiano de pessoas normais mas que vivem situações que com certeza cada um de nós já passou ou vai passar mas a abordagem é sempre hilariante, comovente e arrematadora, pois quando começamos a ler não conseguimos parar mais!
Acabo de ler o "Sushi" e os nomes dos livros dela geralmente não sugerem muita coisa com títulos como "Melancia", "Férias" e assim por diante.
Eu e minhas amigas criamos o Clube de Leitura Marian Keyes pois cada uma de nós já leu pelo menos um deles, ou todos eles e aquelas que não leram todos ainda, estão á caminho, pois um puxa o outro e depois que lemos trocamos e-mails, conversas e mensagens dizendo o quanto foi legal, com qual personagem nos identificamos mais e o próximo da lista, emprestando uma ás outras formando assim a coleção completa.
Comecei a ler agora o "Los Angeles" que no inglês original é "Angels" e minhas amigas sempre mencionaram que a personagem deste livro é a que mais tem a ver comigo, pois de todas as "Girls"( Eu e mais 5 amigas inseparáveis) eu é quem sempre tive a fama de certinha, boazinha e tal fama me percegue (quem me conhece que me compre, heheh)... ainda não posso concluir nada, só posso dizer que já estou adorando e de fato, tem a ver comigo sim, principalmente aquela parte em que diante de um problemão ela afirma que qualquer pessoa perderia o sono mas ela dorme como uma pedra! ou aquela parte em que ela é louca por sapatos... é acho que sou eu! rs
O fato é que todas nós adoramos leitura e os livros dela é uma leitura prazerosa, que distrai, trás leveza, calma, arranca sorrisos e nos transporta pra um mundo paralelo entre personagens engraçadas, dramáticas, gordinhas que lutam contra a balança ou magrinhas a procura de uma cintura e até aquelas atrás da cor de batom perfeita! é fácil ser cativada pelas irmãs Walsh e outros personagens que pedem mais e mais de nós...
Lá vai a dica: se você quer se divertir, sorrir, chorar, se identificar e depois correr atrás do próximo livro pra sentir sensações tão boas quanto e discutir com todo mundo sobre suas impressões de cada livro a dica certeira sãos os livros da Marian Keyes que sem dúvida oferecem tudo isso e muito mais...
A única coisa ruim é ficar aguardando o próximo livro ser traduzido pro Português, ou encarar um em inglês mesmo!
Quem quiser participar da nossa comunidade no orkut aí vai o link:

quarta-feira, abril 15, 2009

Dor de Alma ou de Cotovelo?

Sabe aquela dorzinha que com certa frequência vem mas não sabemos ao certo de onde ou porquê vem? Aquela que denuncia que algo não anda bem, mas exatamente "o quê" é difícil de responder.. Pois é, pode ser um indicativo que algo não anda muito bem!
Estive lendo um livro do Rubem Alves e ele dizia que a alma tem peso, sim, o peso da vida a qual pode ser leve ou pesada, depende de cada um de nós, mas o problema é que muitos de nós parece preferir que a vida seja pesada, aí ficamos nos lamuriando dos problemas, da crise, do aquecimento global, da vida e nos esquecemos que a nossa vida é só nossa e somos nós os responsáveis pelo seu sucesso ou fracasso, peso ou leveza do ser...
Estar em sintonia consigo mesmo é de fundamental importância, pois aquela dorzinha que curtimos sentir pode ser apenas um sintoma de que a alma não anda bem e o cotovelo é quem sofre e leva a culpa! rs
Que possamos refletir no peso da nossa alma e fazê-la cada vez mais leve vivendo com harmonia interna, com a vida e com tudo que há de bom em se viver!

sexta-feira, março 06, 2009

Mulher! Com muito orgulho!

Adoro ser mulher!! Sim, há quem diga todas as desvantagens e sofrimentos atribuidos somente ao sexo feminino e de todos eles estamos fartas de ouvir e sentir, mas gostaria de nesta semana da mulher falar sobre as vantagens, privilégios e belezas de ser mulher!

Ser mulher é uma maravilha e todos os encantos que isso significa! Como é gostoso ser inteligente e ao mesmo tempo meiga, ingênua, sensível, bela...podemos mesclar força com fragilidade, encanto com sensualidade, beleza com espontaneidade!

Gostamos de várias cores e todas elas nos caem muito bem nas situações e ocasições mais inusitadas; gostamos do rosa, vermelho, branco mas também gostamos do preto, azul, verde e todas as nuances que derivam destas cores as quais sabemos muito bem distingui-las com precisão. Conhecemos grifes, marcas e estilos que nos favorecem, mas também estamos sempre metidas em liquidações, saldões e palavras como estas soam como música aos nossos ouvidos! rs

Podemos sim ser magras, gordinhas, altas, baixinhas, negras e branquinhas mas todas temos charme, encanto, carisma, vaidade e beleza peculiares e singulares da grandeza de ser uma grande e bela mulher!
Sabemos falar sobre crise econômica mundial, cotação do dólar, econonia, finanças, administração, futebol, mas também dominamos psicologia, sociologia, filosofia até assuntos considerados fúteis mas necessários como truques de maquiagem, sapatos, bolsas, vestidos os quais mesmo taxados como supérfluos são necessários quando nos valorizam e consequentemente nos elogiam!

Vi uma propaganda das lojas Marisa que achei super interessante, uma conversa entre as atrizes Viviane Araújo e Carolina Dickman sobre os privilégios, tabus, conflitos e encantos de ser mulher e gostaria de compartilha-los com vocês:
Outro símbolo da mulher atual é o seriado e filme "Sex and the City" que também aborda os conflitos e maravilhas da vida da mulher atual, sempre antenada, mas a procura de um grande amor, como todas nós.
O seriado mostra uma mulher que simboliza cada tipo: Uma ruiva que é wokaholic, advogada e bem sucedida, uma morena que representa as mulheres romanticas, doces e ótimas mães e esposas, uma loira linda e fatal, sensual e que não tem medo de correr atrás do que quer e uma morena com luzes, ( classificação + atual, rs) que é a atriz principal, escritora e observadora das amigas e da vida, relatando na série suas desventuras e conquistas na vida e no amor... Ou seja, cada uma de nós somos como uma delas ou a soma das quatro, com nossas singularidades e qualidades que nos tornam únicas, mas parte desse clã de cumplicidade que é ser uma mulher!
O Fato é que é uma delícia ser mulher, esse privilégio de ser competente profissionalmente, linda, elegante, inteligente, chique, boa mãe, boa dona de casa, boa cozinheira e como se não bastasse encantadora, meiga, carinhosa, perfumada e sorridente! Só nós temos todo esse encanto e beleza...

Que neste dia Internacional da mulher e em todos os outros possamos nos amar, nos valorizar, nos permitir ser o que somos e ter orgulho disso, pois ser mulher é ser bela, com sorriso nos lábios mas além disso nos olhos e no coração o qual é melhor do que qualquer creme anti-idade, rs
Que possamos sorrir mais, amar mais, cuidar mais e sermos isso tudo, uma mulher e tudo que isso representa! Parabéns a todas nós!!

sexta-feira, fevereiro 27, 2009

Paixão


Paixão, ôh paixão...palavrinha mágica que provoca arrepios, borboletas no estomago, sorrisos abertos e francos, corar das bochechas e pulsar acelerado do coração... quem nunca sentiu tais sintomas? É uma delícia, nos faz sentir vivos! sim, vivos!! Sendo assim, por que será que quando falamos em paixão, só nos vem á mente a de uma mulher por um homem ou vice e versa? Não podemos nos apaixonar por outras coisas, como pela vida por exemplo?
O fato é que neurologicamente falando a paixão faz com que o nosso organismo libere sustâncias agradáveis como a serotonina, oxitocina etc, hormônios tais que nos trazem estas sensações mencionadas acima, de prazer e bem estar e isso é fundamental para a manutenção da vida saudável de um ser humano, pois sem tais sensações, pode-se desenvolver uma depressão por exemplo.
Seguindo esta linha de pensamento, afirmando que se apaixonar é tão bom e faz bem, porquê nos privamos, nos protegemos e adiamos tanto para sentir isso? Podemos sim nos libertar dos medos e paradígmas e nos apaixonar todos os dias, sim todos os dias: Por si mesmo, pela vida, pelo ar, pelo horizonte, por um sorriso sincero, pela chuva, pelo sol, por um bom livro, por um personagem de um bom filme, por uma matéria interessante de uma revista inteligente, por um bom perfume, por um blog, rs... em fim.. se apaixonar, se permitir gostar de algo e apreciar a beleza disto, a beleza que é se apaixonar!!!
Apaixone-se pela paixão e viva feliz!!!

quinta-feira, fevereiro 26, 2009

BBB = PPP (Big Brother Brasil = Pressão Psicológica Pesada)



Este meu blog é meu "xodó", adoro escrever aqui, escrevo o que dá na cabeça, do meu jeito, ás vezes com alguns erros de português mas todos de bom coração, rs! Ele é meu interlocutor oculto, imaginário, sem face, mas ótimo ouvinte!
Sendo assim, bobagens não combinam, temas chatos destoam pois a intenção, além da paixão, é agradar quem lê, trazer um momento de leitura gostoso, leve, despretensioso mas interessante, intrigante e reflexivo...Baseado nisto tudo, abordar e escrever sobre o Big Brother parece piada e no mínimo será abordado de forma a ridicularizar o já tão ridicularizado quadro global, pensará quem vê esse título, mas para o espanto de todos, não, não irei ridicularizar nem difamar o BBB, pois admito: assisto e gosto! ( com ressalvas e justificativas a seguir, rs).
Nossa, quando fiz essa afirmação em público, alguns olharam espantados, outros "ah, fala sério!" e uma pessoa até me falou "Nossa, pra quem lê tanto dizer que vê e gosta de Big Brother..." confesso que achei legal, afinal, apesar de admitir isso não gostaria que minha imagem ficasse associada a algo tão "inculto".
Ok, concordo que o programa não oferece nada de bom, pelo contrário, difama a imagem feminina (como se isso já não fosse comum na TV hoje em dia), apela para baixarias para ganhar audiência (e claro, são instigados á isso), sem mencionar que há todo um processo de "seleção" que de democrático e desinteressado não tem nada... Mas críticas óbvias á parte, gostaria de abordar o BBB9 como uma nova sigla "PPP" Pressão Psicológica Pesada! Sim, as demais edições do BBB tinham todas as características comuns como exposição de nudez, baixaria, complôs etc., características tais que não faltam em nada nesta edição, mas esta tem tido abordagens diferentes que nitidamente se criou pra além de surpreender o telespectador e prendê-lo pela novidade e não cair na mesmice, também surpreende os brothers que foram armados e preparados para as armadilhas costumeiras e foram surpreendidos por sessões de pressões psicológicas inesperadas e portanto surpreendentes, mesmo que subliminarmente.
Começou com a Casa de Vidro, dentro de um Shopping Center de uma grande cidade brasileira, imagine você, achando que conseguiu ganhar na loteria sendo escolhido para ser um dos BBB9 e der repente tendo que ficar sorrindo 24hs por dia durante sete dias sem privacidade nenhuma e tendo que nesta situação agradar o público para conseguir uma chance, público não através das câmeras escondidas, mas público pessoal, ali, do outro lado de um vidro! Sim, ridículo se expor desta forma tão direta, e no mínimo estranha a sensação de quem está do lado de fora, "observando" humanos da sua mesma espécie como se fosse um zoológico inovador... Aliás, o BBB nada mais é do que um zoológico humano, caso não esteja claro esta abordagem.
Depois, dentro da casa, com todas as provas, situações e simulações, estar sob confinamento já é angustiante, já vimos este filme nas demais edições, mas daí a confinar três pessoas em um quarto branco, iluminado 24hs é tortura psicológica das brabas, pois pira a cabeça de qualquer um, pois a iluminação constante por si só para o ser humano é fisiologicamente torturante, pois o ser humano precisa do pôr do sol, noite e dia para controlar seu relógio biológico e ser privado da luz ou do escuro descontrola todo o organismo que deixa de saber qual é a hora de dormir e de acordar, por exemplo, ou seja, pressão biológica sem mencionar a psicológica, + uma vez, forçando o "+ fraco" a desistir quando quiser e não deu outra, confinamento é pressão...
Confesso que não sei se são abordados os direitos humanos em uma situação como esta, mas fato é que quem se sujeita a participar de um programa de exposição pessoal de todas as formas e assina um contrato se dispondo a aceitar qualquer coisa para conseguir um milhão, aceita subtendidamente a ser exposto a qualquer tipo de pressão, ou seja, a palavra QUALQUER dá margem pra tudo, esteja preparado ou não.
Claro que tenho + críticas do que elogios para fazer ao BBB, conforme os mencionados acima e muitos outros, mas confesso que gosto de assistir exatamente pela observação do comportamento humano quando exposto a situações de stress, pressão, saudade, confinamento, traição, agreções verbais, desconfiança, pressão externa, cobrança interna, fome, vontade, necessidades físicas e psicológicas tudo isso exposto em rede nacional para todo mundo ver! Não acredito que existam atores, mas sim seres humanos falhos que são exemplos vivos de que toda máscara uma hora cai, todo pensamento uma hora sai da boca pra fora, toda libido uma hora é liberada e que a busca de um objetivo em troca de "qualquer coisa" sempre acaba esbarrando exatamente no seu ponto fraco.
O BBB PPP é isso, pressão, jogo de sobrevivência e exposição geral, das fraquezas humanas e suas limitações.
Acredito que o que incomoda e ao mesmo tempo atrai todas as atenções para um reality show é o fato de nos identificarmos com um deles e ficarmos imaginando e nos colocando no lugar deles, como faríamos, reagiríamos, falaríamos e esse exercício social é interessante, pois coloca em xeque tudo aquilo que acreditamos, nossa base educacional e moral diante das pessoas e de nós mesmos.
O que falta no mundo e na TV hoje em dia é algo que mostre a riqueza do ser humano, sua capacidade de crescimento, superação e evolução, pois estamos saturados e cansados de ver a ridicularização da mulher, do homem, das crianças e idosos, da cultura, da música, dos gostos, da moral, da verdade, em fim, cansados dessa pressão psicológica que é viver nesta bolha social que ferve + a cada dia que passa com tanto lixo cultural e social... que possamos sim, observar, espiar à vontade mas além disso aprender algo, tirar algum proveito disso tudo de forma positiva e não ficar apenas na posição confortável de criticar, apontar e não fazer nada pra mudar.
Como psicóloga que sou sempre irei olhar o mundo sob o ângulo psicológico e as conseqüências disto e também irei apreciar tudo que mostrar o ser humano e suas vicissitudes, contudo exatamente pelo mesmo motivo tenho que criticar um programa ou qualquer situação que ridicularize este mesmo ser humano, incrível e singular em seu potencial, pois ser um ser humano implica não só viver e curtir a vida, mas principalmente ter sabedoria para saber viver bem e curtir o que se tenha algum proveito, um motivo e razão de crescimento como pessoa e como humano.
O BBB tem tudo isso, oportunidade de enriquecimento, mas também de crescimento como pessoa, pois o ser humano quando é sujeito á pressões psicológicas pode sofrer e até se traumatizar, mas também pode sair ileso e renovado, evoluído pois é assim que se aprende a viver, através das experiências as quais só se sabe depois que se dispõe a passá-las.
PPP também é isso, pressão psicológica pesada, mas a pressão que impulsiona pra frente, pra cima e que ensina a viver, jogar e ganhar...BBB = PPP, como tudo na vida, se bem aproveitado vale a pena!

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Apaixonada pela vida.. vida aos 28! rs


Meu aniversário está chegando e com ele vem sempre aquela sensação de que o tempo está passando, muitas coisas foram conquistadas e outras ainda não...Algumas experiências sabiamente adiquiridas e outras ainda por aprender... Alguns sentimentos expressos e outros ocultos... Em fim, são tantos os devaneios e reflexões que me invadem, amedrontam e encantam, afinal viver é uma experiência única, singular e linda e é dessa forma que devemos encará-la a cada dia com o passar dos anos...
Sendo assim, envolta nestes momentos de introspecção, deixo um dos célebres poemas de John Lennon, ser humano como cada um de nós, cheio de frustrações e conquistas, mas que teve a nobresa de tentar compartilhar conosco todos seus sentimentos, alegrias e emoções através de suas músicas, poemas e vida, mesmo que breve...

"Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é acionado, nem chega com hora marcada. Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável. Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada "dois em um": duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável. Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos. Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são caretas, que os que transam muito não são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto. Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes e que podemos tentar alternativas. Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém"
(John Lennon)

quinta-feira, janeiro 08, 2009

Começando bem...Feliz 2000inove!


Ano Novo.. que delícia a perspectiva de algo novinho em folha, aberto para novas possibilidades, novas chances de fazer diferente, de acertar! Novas maneiras de encarar os problemas, um frescor de otimismo, esperança.. alimentos da alma!
Essas sensações deveriam nos acompanhar a cada amanhecer e não somente na troca do calendário anual, deveriam nos preencher a cada manhã, preencher de esperança e gratidão pelas experiências passadas.
Particularmente adorei a sacada genial dos publicitários do Bradesco que lançaram o novo jargão: "2000Inove"... genial, atual, inovador! rs e é bem essa a idéia, INOVAR, fazer diferente... costumo ter sempre em mente uma frase que diz que se continuarmos a emitir a mesma pergunta (pra vida) continuaremos ouvindo a mesma resposta, ou seja, se não mudarmos nosso jeito de pensar e agir perante as coisas que nos cercam, fatalmente continuaremos tendo as mesmas respostas, mesmas reações, mesmas consequência.
Só depende de nós mudar nosso futuro, nossa sorte. Só depende de nós mudar aquilo que nos incomoda e a duras penas aprender que sem evoluir e se adaptar da forma eficiente às mudanças e ritmo da vida, ficaremos para trás, ultrapassados, parados e com cara de "ué, cadê todo mundo?!"
Que possamos ser gratos a esta nova perspectiva do novo, da chance de fazer e ser diferente e que essa perspectiva não seja largada na gaveta ou no recôndito do coração apenas por covardia e medo de arriscar... que INOVAR seja a palavra de início, o estopim do progresso pessoal, do transpor das barreiras dos limites pessoais e que estes sejam concientizados e ultrapassados um a um de forma eficaz e saudável.
Feliz 2009 e INOVE!