sexta-feira, novembro 30, 2012

De urgências e despretenções...


Eu não tinha muito a oferecer, eu sei… Mas tudo o que eu tinha, era seu. Caio Fernando Abreu

E das urgências do meu ser.. do meu coração, ter você era a que eu mais queria!...
E só de pensar em tudo que poderia ter sido, vivido, aproveitado...
Tanta coisa boa desperdiçada...
E alí não haviam cobranças, não havia pesar.. era só leveza como quem sorri iluminado pelos raios do sol e fica assim, iluminado por uma aura de paz despretenciosa...
E era tudo tão lindo, gostoso... com "bom dia" singular e peculiar...
Era perfeito e ponto! Sem mais, nem menos.. sem pensar no ontem muito menos no amanhã, afinal o "aqui e agora" era tão melhor...
E foi...

E o que dói hoje aqui não é amor, nem saudade... é vontade! De algo bom, de algo novo, de algo que chegue e fique!

Nenhum comentário: