terça-feira, abril 27, 2010

Psicologia do Sapato

Escrever um blog de moda sem dúvida tem mexido com minhas estruturas pois nunca fui apegada demais a este assunto mas ao mesmo tempo sempre fui completamente apaixonada pelo tema e minha maior paixão sempre foi sem dúvida os sapatos! Nossa, eu sou completamente, totalmente e absolutamente louca por sapatos, amo, adorooooo!! de todos os tipos e cores e este ítem sem dúvida sempre foi meu "calcanhar de Aquiles" pois se tiver que cometer alguma loucura "financeira" sem dúvida será por não ter resistido a um lindo sapato. E com a mesma paixão, já vi e ouvi muitas mulheres e amigas afirmarem o mesmo com a mesma veemência, ou seja, não sou excessão nesse universo feminino de mulheres insandecidas por sapatos! rs
Baseada nisso fui buscar saber mais profundamente sobre o assunto e percebi que o sapato é muito mais que um ítem de vestuário, mas é uma extensão da psicologia da mulher!
Na psicanálise de Freud há um conceito chamado "princípio do prazer" onde nossa mente prefere sentir prazer ao desprazer, numa relação diretamente proporcional. Mas este prazer pode ser inibido como resultado da ação da realidade. Assim a mente cria uma forma de prazer possível que é constante , assim como o princípio do prazer. O princípio do prazer nos leva ao conceito de fixação, ou seja, repetição de algo prazeroso que leve à repetição para prolongar este prazer.
Não é possível afirmar que o motivo que leva as mulheres à compulsão por sapatos seja um só, mas a causa é sempre a mesma: fixação, a qual leva ao mesmo princípio do consumismo que nada mais é do que uma válvula de escape prazeroso equivalente a um oásis, uma fuga dos problemas reais.
Nos filmes e fábulas há vários exemplos desta situação como por exemplo a Cinderela onde o pé de sapatinho de cristal ajuda a encontrar o amor e a se libertar da família ruim, ou seja, o sapato simboliza neste caso uma fuga da realidade ruim e a realização dos sonhos. Já no filme "O mágico de Oz" a personagem principal Doroty sai em uma viagem mágica em busca de fortalecer sua confiança e os sapatos cor de rubi a ajuda nesta jornada que só teve seu sentido percebido pela garotinha no fim do filme quando ela retorna ao lar ao bater os sapatinhos 3 vezes e dizer as palavras mágicas " não há lugar como nossa casa!"significando assim um meio de transporte para seu porto seguro que é sua casa. Ou seja, sem dúvida o sapato tem um papel simbólico na vida da mulher e pra não parecer tendênciosa, eu diria que os carros exercem o mesmo efeito sobre os homens.
O que podemos concluir é que a vida real nem sempre é uma maravilha mas todos precisamos sim de algo que nos traga prazer e este é ítem fundamental para nossa sobrevivência e sanidade mental! E no caso das mulheres que amam sapatos é uma forma de prazer que as insere no mundo da moda, da atualidade de uma forma prazerosa e que não a exclui, já que os sapatos são um dos únicos ítens que não exige um biotipo ideal para tê-lo, tanto as gordinhas quanto as magrelas podem usar o mesmo sapato sem discriminação alguma e por não haver restrições é que o sapato acaba sendo titulado como um ítem de paixão universal feminina pois traz esta liberdade de escolha do seu próprio estilo sem fazê-la se sentir mal por caber ou não dentro dele, ou por usá-lo da cor e jeito que quiser com liberdade de escolha e continuar tranquilamente satisfeita com isso.
Sendo assim, não há mal nenhum em se gostar de sapatos e fazer deste nosso objeto de fixação e prazer, afinal, ser feliz é escolha e dentre todas as opções de felicidade, um que seja cor de rubi, de cristal ou da schutz* não é nada mal pra começar a caminhada rumo à satisfação pessoal! :)
obs: * schutz é uma marca de calçados famosa por sua coleção e estilo únicos.



5 comentários:

Wellington Johnny disse...

Agora entendi o por que de os homens ter no maximo dois ou tres pares de sapatos, enquanto as mulheres tem dezenas! como sempre Freud explica.
Gostei muito.

Anônimo disse...

Amoooooooooooooooo.....sapatos...mas nunca fui tãoooo fundo pra explicar .....vc certamente resumiu sem omitir...arrasou!!!
e da-lhe os sapatinhos srsrsr

Sissi | www.commode.com.br disse...

Sempre me perguntei sobre essa obsessão por sapato. Adorei!

Bjocas.

André Hottër disse...

Olá Ariane, adorei seu texto e fiz uma citação em meu site, parabéns!!!

www.andrehotter.com.br

Anônimo disse...

Parabéns ! Muito bem explicado ! Agora me sinto um pouco mais normal ... Também sou sapatólatra e morria de medo de seralguma doença !