domingo, setembro 17, 2006

About everything...


...Percebi tão somente que primeiramente não se deve tirar conclusões precipitadas a cerca da vida, buscar frases prontas para definir o indefinível mas óbvio e assim achar que experiências de vida significam que já sabemos tudo e assim podemos ter aquele ar prepotente de quem acha que já sabe tudo e assim ter a permissão pra agir com orgulho e auto-denominação de superior ás demais pessoas ao redor e no mundo.
Vivendo num país de terceiro mundo, muitas vezes possuímos condições financeiras equivalentes ás de primeiro mundo, significando assim, mais uma vez uma conquistável superioridade econômica e intelectual desencadeando assim a maior das misérias humana que é a pobreza de espírito quando se acha que chegou ao ápice, ao cume, ao topo do mundo capitalista e intelectual... sem saber que tal pretensão cabe somente aos pobres humanos que acham que obter dinheiro e conhecimento bastam para o diferenciar das demais pessoas, pretensão tal que já caracteriza por si só uma pobreza de alma, uma ganância por algo insignificante diante do real significado e beleza da vida que é o constante buscar, a auto denominação de que nada se sabe quanto mais se conhece e a humildade perante o milagre da vida que é o ser humano e suas vicissitudes.

Quando paro pra pensar em mim, na minha vida e seu significado perante o contexto do mundo tanto atual quanto histórico, penso em duas coisas paralelas e igualmente inversas: uma é que nada sou, sou pequena demais perante tudo isso, talvez apenas mais uma perante a multidão de seres viventes que fazem parte de uma população densa e multicultural;
por outro lado vejo que perante tudo isso sou um ser especial, um ser privilegiado por habitar em um lugar tão bonito, um planeta lindo convivendo assim com os mais variados tipos de pessoas, culturas e etnias que se possa imaginar proporcionando assim uma vasta galeria de opções e diferentes interesses, os quais posso aprender, conhecer e obter assim a oportunidade única de interagir ao máximo com tudo isso e assim poder viver no cerne da palavra, viver com intensidade, com beleza, leveza do ser e humildade pra conviver diante disso tudo e querer poder tirar ao menos uma gota desse planeta água, oceano de emoções e razões que nos motivam a aprender.. e continuar.. e viver, gota tal que me fará retornar ao início da linha de pensamento e concluir dentre as duas opções que sim, sou um ser único, especial e portanto racional, sim, um pouquinho racional, o suficiente para concluir essa singularidade do ser.. apenas ser vivo, ser humano e tudo que isso significa.

Nenhum comentário: