Meu princípio à princípio...


Li o título de uma música latina "Mi princípio" e na primeira interpretação achei que falasse sobre "princípios", leis pessoais que tomamos como modo de vida, princípios..mas a música falava de início e assim fui ouvindo a música.. no decorrer da letra (o que é fantástico, porque AMO música e música com conteúdo, não só melodia ou ritmo mas acima de tudo letra que me faça refletir e esta me acertou em cheio)percebi que estava certa, fala sim de princípios, ou seja, de começar, iniciar no princípio com princípios, ou seja, defender os próprios princípios, idéias, leis pessoais, assim, só pra começar! E o fantástico de se defender idéias próprias é exatamente o risco que se corre de ser mal interpretado ou de não haver concordância, e muitas vezes por medo dessa não aceitação é que costumamos agir pela opinião da maioria, pelo princípio comum da sociedade que nada questiona, não sofre retaliações mas que também não se expõe, não se mostra como verdadeiramente é!
Todos nós temos nossos princípios pessoais, alimentados pela nossa educação familiar, pela sociedade que vivemos, pelas experiências que tivemos e pela necessidade de integração com as pessoas com as quais convivemos e a soma disso tudo demonstra quem somos perante ás pessoas, contudo além de toda esta demonstração externa temos nossa forma de pensar íntima, singular e pessoal a qual não contamos pra ninguém. É aquela opinião que formulamos dentro da nossa cabeça mas que não contamos pra ninguém por medo da ridicularizarão, da vergonha, de rirem da nossa idéia absurda, revolucionária ou "nada a ver" e justamente essas idéias que ninguém vê ou lê em nós é que determina o que de fato somos quando ninguém está vendo e nos determina como agir perante a vida e suas agruras, nossa forma de encarar a realidade externa com nossa realidade interna.
Ter princípios por princípio nada mais é do que ter um posicionamento pessoal perante á vida. Não há nada de errado em se encaixar e modular pra caber bem na convivência com nossos semelhantes, mas que possamos além disto ter sim um princípio pessoal e quando necessário conseguir expor sem se intimidar com o que os outros irão pensar, pois acima de tudo devemos ser fieis a nós mesmos, á nossa inteligência que não deve ser subestimada mas respeitada, sem ser imposta ou que haja necessidade de briga para se defender, mas que estes princípios sejam sutis em nossa forma de agir ao mesmo tempo que é forte em nossa forma de pensar! Princípios, assim, pra variar e só pra começar...
" Parece el final, pero es mi principio...Prefiero la soledad A vivir sin mi verdad"

P.S.: a música que ouvi e mencionei acima é da cantora Californiana/Mexicana Julieta Venegas que adorooo e quem quiser conferir seu trabalho basta acessar o link: http://www.youtube.com/user/julietavenegas

Comentários

Parabéns pelo post... bastante profundo e bem "direto".
A música é bonita, mas diferentemente do teu "tino" musical, no meu humilde "principio" musical a letra é sim importante, seu conteúdo tem sim peso na evolução do pensamento expresso, mas o ritmo, sons, harmonia e timbres orquestram todo um conjunto de sensações que a música causa ou enibe quando a ouvimos. Nada como ouvir o bater das ondas na praia ou o som de um passaro cantando ao primeiro sol da manhã... Não há letra, não há sentido escrito, mas a sensação pode mudar seu dia, semana, mes, ano... VIDA!

E falando sobre princípio... segue meu modesto ponto de vista:

Todo principio passa a ser principio a partir do momento em que é criado a partir da consciencia, e não diretamente de fatores externos!
Angélica Lins disse…
Deixei o acesso ao meu blog apenas à leitores convidados. Gostaria de lhe enviar um convite. Envie seu email do blog para o meu: angelica3292@gmail.com.

Aguardo retorno!
Abraço

Postagens mais visitadas