quarta-feira, abril 27, 2011

Seja você mesmo!

"Seja apenas você mesmo!"
Um apelo simples mas significativo que de tão simples é complexo em sua prática!
Como sermos nós mesmos em uma sociedade que exige que você se adapte a um molde pré criado considerado por muitos com o título de "normal" quando nenhum de nós é de fato "normal"?
Ser você mesmo exige coragem pois pode expor o que você realmente pensa, o que você realmente sente e isto pode em algumas vezes ir na contra mão da normalidade corriqueira.
Ser você mesmo exige uma exposição que nem sempre é bem vinda e por ser assim nos torna pessoas paradoxas, dissonantes daquilo que sonhamos, daquilo que nos realiza e exatamente pela dificuldade de se enfrentar a insatisfação das pessoas, acabamos optando pela não satisfação própria pagando o preço de viver no tal molde enfrentando o espelho, o travesseiro e a própria consciência que nos cobra expontaneidade quando passamos a vida toda sendo "o que os outros esperam que sejamos".
Qual é o preço + caro? o que é mais difícil: enfrentar a insatisfação alheia, os olhos revirados de desaprovação, as bocas tortas de negação ou a própria insatisfação que quer encherguemos ou não ela está lá pra nos dizer e nos cobrar autenticidade?
Confesso que não sei pois eu mesma vivo este paradoxo de fazer o que esperam que eu faça, seguir os moldes que sim, custam caro deixar, em contraponto da necessidade de tranquilidade da minha própria consciência que me cobra todos os dias o simples prazer de ser eu mesma, apenas eu mesma custe o que custar!
Que possamos ponderar, equilibrar e quem sabe fazer as pazes conoscos mesmos, afinal, "Just be yourself" não deveria ser um dever ou obrigação mas sim um dos pré requisitos de uma vida plena e feliz! :)

2 comentários:

Tatá disse...

me simpatizei com o conteúdo.. acho que é porque tem um pouco de mim neste contexto. Freud com certeza explica. Parabéns pelo texto, Ari. Beijo

Wellington Johnny disse...

Como disse Freud, trocamos uma porção de felicidade em troca de segurança....