terça-feira, dezembro 01, 2009

Terças-Feiras e Pé de Couve



Uma das maiores especialidades das mulheres é conversar sobre suas experiências de vida entre si, entre amigas é uma constância infinita e entre amigas que passam pela mesma situação então? sai de baixo, senta que lá vem história.. é muita risada, desabafo, confidências, revezamento de ombro 24x7 e muita paciência e amor...
Em um desses momentos de "catarse" (expressão Freudiana para desabafo) surgiu à pérola: "Puxa, ele simplesmente ignorou minha existência, como se eu fosse um pé de couve!"... hahahaha..Pois é.. bem isso mesmo, não há explicação para o fato de duas pessoas que passaram várias experiências juntos, vários anos juntos e der repente, após o fim de uma relação, um dos dois simplesmente desaparece, não quer saber se o outro está vivo, morto, doente, rico.. nada! como se fosse um ser inanimado, com a indiferença destinada á um "pé de couve" por exemplo! rs
Outra pérola foi a de uma de nós contar que está carente hoje, sei lá por que...após aquele silêncio reflexivo e empático, outra fez a seguinte observação: "Isso acontece com você toda terça-feira!"... hahahaha... Após ligar os pontinhos, fatos aos casos, não é que era verdade! Todas as vezes que bateu aquela carência e ela se sentiu assim, ou assado, fez isso ou aquilo coincidência ou não era terça feira! (Freud deve explicar isso também) rs.
O Fato é que mesmo dando tom de piada aos papos femininos a cerca de seus relacionamentos e suas peripécias, a suma é que carência é comum não só no universo ou conversas femininas mas em todo ser humano que sente, chora, ri e ama e como fruto disso tudo decepções e realizações são comuns e conversas desse tom também, tão comuns e rotineiras como os dias da semana e seus respectivos legumes! rs

3 comentários:

Anônimo disse...

Os homens também trocam confidências,apesar de não ser tão comum como as mulheres.As vezes idem as mulheres tratam os homens com tamanha indiferença parecendo um pé de couve.O problema que nessa sociedade globocolonizada de consumo tudo é descartável até as pessoas.Quanto à carencia o ser humano é igual independente do gênero,frágil e dependente uns dos outros.Adriano

Geraldo de Barros disse...

Ariane, Gostei das suas palavras, sempre estou viajando por blogs em busca delas, e acabei encontrando o seu, acredito que ainda encontrarei bastante coisa aqui, por isso não perco mais esse caminho, parabéns, muito interessante e lindo, seu espaço!

um abraço,
Geraldo.

Ariane disse...

ADORO e fico super feliz pelos comentários e pelo prazer de tê-los aqui! Essencia é isso! :)Obrigada e fiquem á vontade sempre!