segunda-feira, junho 11, 2012

For me... e para todas as "Judes" que John Lenon quis atingir...



Não adianta..sinto = tenho que escrever!! Amoooo esse espaço, já disse mil vezes mas como sou daquelas que dizem "eu te amo" sem economia, eu amooo esse espaço, meu blog, meus sentimentos expressos, minhas confidências e confissões para um interlocutor mudo, que nem sempre responde - ou lê - mas amo muito tudo isso...

Outra coisa que amo muitooo é a música!! (Também sempre disse isso por aqui)
Ela me salva todos os dias, comemora comigo e eu com ela todos os bons momentos e chora e se lamenta junto comigo sempre que estou triste e até grita comigo quando preciso gritar ( sim, pra esses momentos me utilizo do meu 1o soprano agudo e alcanço as notas da Mariah Carey e Kelly Clarkson entre outras rs).
Tenho uma trilha sonora para cada situação da vida, para cada momento uma música especial, cada pessoa me lembra alguma música, algum estilo musical e assim como amo demais o ser humano, adoro todo tipo de música, todos mesmo, de um ecletismo esquisito que de tão inusitado chega a ser engraçado e curioso rs - assim como o são as pessoas, somos todos nós, não é?!

Esses dias tenho passado por uma crise existencial curiosa e gritante, daquelas que doem sabe, tipo uma borboleta saindo do casulo ( acredito que aquele porcesso deva doer) e como muito bem definiu Natalia Klein de "Adorável Psicose"no post "A crise ou um soneto da maturidade feminina é apenas o nome de um chá ruim" a crise é algo que cedo ou tarde pega todo mundo mas que no fundo só serve pra fazer uma faxina na vida e nos lembrar que nem tudo que um dia queríamos é o fim das coisas em si, mas sim o processo então deixa fluir, o importante é ser feliz... E no afã dessa faxina, faxinando meu quarto achei um CD escrito "For me" e me lembrei que a muito tempo trás, tipo assim, mais de 10 anos atrás eu gravei este CD e me lembro que escrevi "For me"como quem escreve uma carta para ser lida no futuro e por coincidência ou sincronicidade, justo neste momento de crise achei novamente o bendito CD.. e nossa.. foi uma surpresa maravilhosa, inenarrável, inexplicável!! Parecia uma carta póstuma, sabe, daquelas que você escreve pra lerem quando você morrer na qual ao invés de lamentar a existência você faz o leitor se lembrar o quanto valeu a pena existir, e este CD me fez lembrar o quanto tudo isso é maravilhoso, incrível e energizante pois viver é isso, uma experiência única e singular, cada um a encara de um jeito diferente pois ninguém é igual a ninguém e essa singularidade do ser é incrível!
Pois bem, o tal CD tinha de tudo - assim como eu disse no início, todos os estilos - de Aerosmith á Zé Ramalho, de músicas como "Imagine" até "Como nossos pais"e pra ser leve tem até "Superfantástico"do Balão Mágico... enquanto ouvia eu ria, chorava, refletia... como é bom termos esta essência pessoal!... Como foi bom um dia ter tido a brilhante idéia, ou intuição, sei lá, de gravar um CD pra que em um belo dia de crise dos 30 eu pudesse ouvir e me lembrar que seja com 15, 20, 30 ou seja lá quantos algarítimos é possível medir um ser humano sem levar em conta suas experiencias pessoais que são inumeráveis, ser feliz é questão de escolha! Vem de dentro e que apesar de chover lá fora, meu girassol são meus sonhos na minha vida de 1,62m de Sol!

Me amo, sabia? hahahaha ok, egoísmo, narcizismo? nomeie como achar melhor, mas ame-se também! Faça seu próprio CD pra si mesma, escreva uma carta para quando estiver com + rugas do que gostaria de ver no espelho, possa enchergar no espelho da alma que esta sim, só envelhece se você quiser e que se amar é o que torna cada dia, todos os dias, dias de muito Sol, música, amor próprio e brilho! Sim, aquele do olhar, corre alí, olhe no espelho e repita pra si mesma: "Eu me amo" e cante sua canção de amor pra si mesma!!

E só para concluir e como não podia deixar de ser, segue a música que me fez chorar e rir ao mesmo tempo ouvindo esse CD:

Hey Jude

Hey, Jude, don't make it bad
Take a sad song and make it better
Remember, to let her into your heart
Then you can start, to make it better

Hey, Jude, don't be afraid
You were made to go out and get her
The minute you let her under your skin
Then you begin to make it better

 And anytime you feel the pain
Hey, Jude, refrain
Don't carry the world upon your shoulders

For well you know that it's a fool
Who plays it cool
By making his world a little colder
Na na na na na na na na

Hey, Jude, don't let me down
You have found her now go and get her
Remember (Hey Jude) to let her into your heart
Then you can start to make it better

So let it out and let it in
Hey, Jude, begin
You're waiting for someone to perform with
And don't you know that is just you?
Hey, Jude, you'll do
The movement you need is on your shoulder
Na na na na na na na na

 Hey, Jude, don't make it bad
Take a sad song and make it better
Remember to let her under your skin
Then you'll begin to make it better (better, better, better,better, better, oh!)
Na, na na na na na, na na na, Hey Jude
Na, na na na na na, na na na, Hey Jude


P.S: E esse "na na na".. eterno no final da música... parece aquelas pausas eternas nos filmes do Stanley Kubrick como "2001 uma Odisséia no espaço" as quais propositalmente existem pra te dar tempo para reflexão... esse infinito "na na na".. é pra isso mesmo.. reflita "litlle woman-girl" and Let be!

Nenhum comentário: